Libbs renova aposta em inovação aberta para além das healthtechs

As inscrições para a segunda edição do programa Linna vão até 27 de maio

A Libbs, farmacêutica privada e 100% brasileira, abriu inscrições para a segunda edição do programa de conexão com startups, scale-ups e pequenas empresas, o Linna – Libbs Inovação Aberta.

No ano passado, em seu lançamento, 185 startups foram mapeadas ou inscritas, gerando cinco projetos piloto e trazendo parceiros além do universo da saúde para soluções que impactam todo o negócio.

Já nova edição, o Linna mantém a porta aberta para inovação em todas as áreas da empresa.

Com desafios que vão desde tecnologias a favor das relações de trabalho remoto até soluções que facilitem a busca e a solicitação de informações científicas por profissionais de saúde.

Aprendizado

Para a diretora de Inovação e Desenvolvimento do Negócio da Libbs, Anna Paula Guembes, o primeiro ano de programa foi um processo de aprendizado contínuo e de mão dupla.

“Aprendemos com as startups novos modelos de negócio, enquanto elas passaram a ter acesso aos recursos que a Libbs disponibiliza. Com o Linna, passamos a trabalhar ainda mais a inovação dentro da companhia, e notamos um imenso engajamento das equipes da Libbs”, diz ela.

Inscrições

Do total de startups inscritas em 2021, 26 participaram do pitch day, sete foram selecionadas para a etapa de imersão e cinco rodaram, então, o projeto piloto.

Foram oito desafios atrelados às demandas internas da empresa, como gestão de recursos ambientais e resíduos, digitalização de dados para prevenção de desvios produtivos e monitoramento de preços e reembolsos de medicamentos hospitalares.

Linna segunda edição

As inscrições para a segunda edição do programa Linna vão até 27 de maio.

A ideia é superar os desafios apresentados durante o processo e entregar um bom resultado tanto para a companhia quanto para as participantes.

Os desafios propostos pela Libbs para este ano são:

  • Tecnologias a favor das relações de trabalho remoto.
  • Inovação em treinamentos corporativos.
  • Otimização da estrutura organizacional.
  • Sistema automatizado para gestão de solicitações jurídicas.
  • Sistema para controle de revisões de contratos.
  • Verificação de vulnerabilidade de sistemas tecnológicos.
  • Solução para busca e solicitação de informações médicas.

A Libbs investe 10% do seu faturamento em pesquisa, desenvolvimento e inovação. Com parte desses recursos, o Linna – Libbs Inovação Aberta foi desenhado junto à Innoscience para conectar ideias e soluções inovadoras na área de saúde às demandas de negócio da empresa.

Um dos fundamentos do Linna é a remuneração das startups e scale-ups parceiras.

A empresa contratada recebe um fee mensal de acordo com a complexidade do projeto.

Com isso, a empresa é capitalizada e tem condições de crescer e de se desenvolver.

Parcerias de sucesso

Uma das parcerias desenvolvidas na primeira edição foi com a startup Nuveo,focada em inteligência artificial, que apresentou soluções para o desafio “Monitoramento do comportamento da operação em área estéril”.

Um dos sócios da Nuveo, Roberto Lellis, conta que a empresa desenvolveu com a Libbs um projeto para identificar pessoas em movimento com o uso da inteligência artificial e, assim, acompanhar a área produtiva da Libbs.

“Transformamos o monitoramento em vídeo, que já era realizado, em uma solução inteligente que pudesse alertar os colaboradores, muito bem treinados, sobre o tempo necessário para realizar o procedimento de sanitização das mãos com álcool 70°, que é fundamental para manter a sala de líquidos estéreis livre de contaminação cruzada”, diz ele.

Esse procedimento é periódico e essencial para impedir a contaminação de lotes de medicamentos que são envasados ali, evitando o descarte.

Com a implantação da solução, os resultados foram visíveis: o número de vezes em que os funcionários se esqueceram de sanitizar as mãos no tempo correto caiu para zero.

Também para o CEO da Nuveo,  Flávio Pereira, ressalta que o ponto forte do Linna foi o envolvimento da Libbs nas diferentes etapas do processo.

“O Linna é diferenciado em relação aos demais programas existentes no mercado, pois é focado em resultados e oferece suporte para a execução dos projetos, sem onerar nosso time com atividades paralelas que pouco contribuem para gerarmos valor como eventos e mentorias”, afirma.

Já a Cerensa trouxe sua expertise em plataforma de gestão e análise de dados relacionados à sustentabilidade e impacto ambiental para o desafio “Gestão de recursos ambientais e resíduos”.

Sustentabilidade

Para o CEO da startup, Anibal Wanderley, a missão foi integrar os medidores de sustentabilidade implantados pela Libbs com a operação

Trazendo, então, dados sobre o consumo de água e o impacto ambiental na produção, principalmente relacionados à limpeza de equipamentos e setup.

A partir dessa integração, a Cerensa construiu indicadores de intensidade de consumo de uso de água nos produtos, possibilitando uma visão mais operacional do negócio.

“Também fomos desafiados a elaborar o cálculo de emissão de gases de efeito estufa da operação da Libbs e um conjunto de indicadores de gestão ambiental, o que contribuiu nos processos de gestão dos indicadores ambientais da empresa”, explica.

Fonte: Libbs

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário