Lote com 8 mil litros de insumo da vacina CoronaVac chega a SP

Butantan estima que conseguirá produzir 14 milhões de doses a partir da matéria-prima em 20 dias

Um lote com 8 mil litros de insumo da vacina CoronaVac chegou a São Paulo na manhã desta quinta-feira (4).

A estimativa do Instituto Butantan é a de produzir 14 milhões de doses a partir da matéria-prima e iniciar a entrega para o governo federal em três semanas.

Importado da China, o lote saiu de Pequim em um voo comercial e desembarcou no Aeroporto Internacional de Guarulhos, na Grande São Paulo, por volta das 6h10.

A carga com o novo lote de insumo da coronaVac será, então, levada para o Instituto Butantan, responsável pela etapa final de produção da vacina no Brasil – envase, inspeção e rotulagem.

Ministério da Saúde

Ontem (3), o Instituto Butantan liberou mais 900 mil doses da vacina Coronavac ao Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde (MS).

Todavia, desde o dia 23 de fevereiro, o Butantan afirma que já disponibilizou 4,6 milhões de novas doses do imunizante ao governo federal, para distribuição no país.

Com isso, o total de vacinas disponibilizadas ao PNI chegaram a 14,45 milhões desde o início das entregas.

Em 17 de janeiro, diz o governo de São Paulo.

As doses enviadas em fevereiro fazem parte do lote de imunizantes envasados no Butantan com o insumo farmacêutico ativo (IFA), enviado pelo laboratório chinês Sinovac Life Science.

O Instituto afirma, no entantio, que realiza uma força-tarefa para seguir envasando, em ritmo acelerado, novas doses da Coronavac para a entrega ao PNI.

Uma das ações foi dobrar o quadro de funcionários na linha de envase.

Distribuição ao País

Mais 2,5 milhões de doses da vacina CoronaVac estão sendo enviadas a todos os estados e ao Distrito Federal na última quarta-feira (3), informou o MS.

De acordo com a pasta, o novo lote é destinado a “vacinar o restante dos trabalhadores da saúde, indígenas do estado do Amazonas e também pessoas de 80 a 84 anos”.

A nova remessa corresponde à entrega de duas doses.

Sendo assim, os estados e municípios precisam reservar a segunda dose da CoronaVac para garantir que ela seja aplicada de 2 a 4 semanas depois da primeira.

Fonte: G1

Foto: Tribuna de Jundiaí – Prefeitura Municipal de Jundiaí

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário