Lúpus: o que é, causas, sintomas e tratamentos

A doença é crônica e afeta mais mulheres do que homens, e mais adultos do que crianças

O lúpus eritematoso sistêmico (LES) ou apenas lúpus, é uma doença inflamatória autoimune, que pode afetar apenas a pele ou diversos órgãos internos.

Mais comum em mulheres do que em homens, a doença exige tratamento e monitoramento contínuo.

Confira os sintomas da doença, como é feito o diagnóstico, tratamento e muito mais!

O que é lúpus?

O lúpus eritematoso sistêmico (LES), conhecido apenas como lúpus, é uma doença inflamatória e autoimune – o sistema imunológico reage contra as células da própria pessoa, causando danos que podem ser nos órgãos internos ou somente na pele.

A doença é crônica e afeta mais mulheres do que homens, e mais adultos do que crianças.

Para quem tem a doença, o tratamento é continuo e é importante ter uma monitorização para avaliar a atividade da doença.

Tipos de lúpus

De acordo com o Hospital São Matheus, a doença pode se manifestar de quatro formas diferentes, com causas distintas:

  • Lúpus Discoide: esse tipo da doença fica limitado à pele da pessoa. Pode ser identificado com o surgimento de lesões avermelhadas com tamanhos, formatos e colorações específicas na pele, especialmente no rosto, na nuca e/ou no coro cabeludo.
  • Lúpus Sistêmico: a inflamação acontece em todo o organismo da pessoa, o que compromete vários órgãos ou sistemas, além da pele, como rins, coração, pulmões, sangue e articulações. Algumas pessoas que têm o lúpus discoide podem, eventualmente, evoluir para o lúpus sistêmico.
  • Lúpus induzido por drogas: essa forma acontece porque substância de algumas drogas e/ou medicamentos podem provocar inflamação com sintomas parecidos com o lúpus sistêmico. No entanto, a doença, nesse caso, tende a desaparecer assim que o uso da substância terminar.
  • Lúpus neonatal: esse tipo da doença é bastante rara e afeta filhos recém-nascidos de mulheres que têm lúpus. Normalmente, ao nascer, a criança pode ter erupções na pele, problemas no fígado ou baixa contagem de células sanguíneas, mas esses sintomas tendem a desaparecer naturalmente após alguns meses.

Causas

A causa do lúpus não é conhecida, mas sabe-se que fatores hormonais, ambientais e genéticos participam do seu desenvolvimento.

Dessa forma, as pessoas nascem com susceptibilidade genética para desenvolver a doença. Assim, em algum momento, após uma interação com algum fator ambiental como infecções virais, passam a apresentar alterações imunológicas.

Lúpus-sintomas

Sintomas do lúpus

Os sintomas da doençapodem surgir de repente ou se desenvolver lentamente, sendo temporários ou permanentes, bem como moderados ou graves.

Os sintomas mais comuns são:

  • Sensibilidade ao sol.
  • Inchaços e rigidez muscular.
  • Dificuldade para respirar.
  • Dor nas articulações.
  • Queda de cabelo
  • Lesões na pele.
  • Vermelhidão na face.

Entre outros sintomas, dependendo da região do corpo afetada, o que dificulta seu diagnóstico, como veremos a seguir.

Diagnóstico

O diagnóstico é feito através do reconhecimento pelo médico de um ou mais dos sintomas acima.

Além disso, algumas alterações nos exames de sangue e urina são características, também sendo habitualmente utilizadas para a definição final do diagnóstico.

Os exames também são importantes para saber se há atividade da doença.

Por isso, caso você apresente algum dos sintomas citados ou suspeite que tenha lúpus, consulte seu médico para receber o diagnóstico e o tratamento correto.

Nunca se automedique.

Tratamento

O tratamento da doença é feito de forma diferente dependendo dos sintomas apresentados e da região do corpo afetada.

Por isso, é essencial procurar um médico para realizar o diagnóstico correto e receber o tratamento mais indicado para o seu caso.

Nunca se automedique.

Lúpus tem cura?

Existe tratamento, mas não cura para a doença.

Consulte seu médico para receber o diagnóstico correto da doença, bem como o tratamento adequado para o seu caso especifico.

É contagioso?

Por ser uma doença autoimune, o lúpus não é contagioso.

Lúpus-tratamento

Como prevenir o lúpus?

Por ser uma doença de predisposição genética, não há como prevenir o surgimento do lúpus.

Contudo, quando diagnosticado e tratado precocemente, a doença tende a causar menos danos ao organismo.

Além disso, pacientes diagnosticados com a doença devem se proteger de forma ainda mais reforçada do sol, com o uso de filtro solar e evitando exposições desnecessárias.  Isso porque o sol pode levar a atividade da doença.

Outro hábito a ser evitado pelas pessoas diagnosticadas com lúpus é o tabagismo.

A gravidez também deve ser evitada enquanto a doença não esteja devidamente controlada.

Por isso, consulte seu médico se você apresentar algum dos sintomas citados e, caso você tenha o diagnóstico do lúpus, continue seu tratamento, mesmo sem os sintomas.

Por ter caráter crônico, a doença pode retornar de forma silenciosa.

Conclusão

O lúpus eritematoso sistêmico (LES), conhecido apenas como lúpus, é uma doença inflamatória e autoimune – o sistema imunológico reage contra as células da própria pessoa, causando danos que podem ser nos órgãos internos ou somente na pele. 

A doença é crônica e afeta mais mulheres do que homens, e mais adultos do que crianças.

Seus sintomas variam dependendo da região do corpo afetada e podem surgir de repente ou se desenvolver lentamente, sendo temporários ou permanentes, bem como moderados ou graves.

Contudo, alguns deles são: febre, sensibilidade ao sol e inchaços e rigidez muscular.

O tratamento da doença é feito de forma diferente dependendo dos sintomas apresentados e da região do corpo afetada.

Assim, caso você suspeite que tem lúpus ou apresente algum desses sintomas, consulte seu médico para receber o diagnóstico e o tratamento correto.

A automedicação nunca é indicada.

 

Fontes

Reumatologia

Sociedade Brasileira de Dermatologia

Hospital São Matheus 

 

Fonte: Guia da Farmácia

Fotos: Shutterstock

Não se automedique, consulte um profissional de saúde.

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário