Manaus vive colapso por conta da pandemia da Covid-19

A média móvel de mortes cresceu 183% no Amazonas nos últimos 7 dias

Manaus vive uma crise sem precedentes com o avanço dos casos de Covid-19. Com internações batendo recordes, unidades de saúde ficaram sem oxigênio. O estado está sendo obrigado a enviar pacientes para outros estados.

Os cemitérios também estão lotados, tiveram o horário de funcionamento ampliado e instalaram câmaras frigoríficas. Para frear o vírus, o governo decidiu também proibir a circulação de pessoas entre 19h e 6h em Manaus.

A média móvel de mortes cresceu 183% no Amazonas nos últimos 7 dias.

Até o último dia 13, mais de 219 mil pessoas haviam sido infectadas pela Covid-19 em todo o estado, e mais de 5,8 mil morreram com a doença.

O número de internações pela doença em Manaus chegou a 2.221, de 1º a 12 de janeiro.

Todavia, no pico da doença no estado, em abril do ano passado, foram internados 2.128.

Na terça-feira, a Fundação Oswvaldo Cruz (Fiocruz) divulgou que uma nova variante do coronavírus que causa a Covid-19 foi encontrada no Amazonas. Trata-se da mesma variante que chegou ao Japão após viajantes passarem pelo estado.

Falta de oxigênio

Uma das razões para o colapso do sistema de saúde é o consumo de oxigênio por pacientes de leitos clínicos.

De acordo com o Secretário da Saúde do Amazonas, Marcellus Campêloele, a alta demanda surpreendeu um dos maiores conglomerados de gás do mundo, a empresa White Martins.

O secretário diz que há leitos abertos prontos para serem utilizados no Hospital Universitário Getúlio Vargas, no Nilton Lins e outras unidades, mas não foram ativados por conta da falta de oxigênio.

De acordo com o governador Wilson Lima, o Estado entrou com uma ação na Justiça para que a empresa fornecedora de oxigênio garanta o abastecimento nas unidades de saúde em quantidade suficiente para atender a todos.

Transferência de pacientes

Com o colapso do sistema de saúde, pacientes estão, então, sendo levados a outros estados para receber atendimento médico.

São eles: Goiás, Piauí, Maranhão, Brasília, Paraíba e Rio Grande do Norte.

O governo diz ter feito um estudo dos estados para que as transferências não sobrecarregassem a rede assistencial de outros locais.

De acordo com o governo, 235 pacientes já haviam sido transferidos até a tarde desta quinta (14).

Toque de recolher em Manaus devido a Covid-19

O governador Wilson Lima anunciou, nesta quinta-feira (14), um decreto que proíbe, portanto, a circulação de pessoas em Manaus entre 19h e 6h.

A saber, todas as atividades, exceto serviços essenciais para a vida, também estarão proibidos de abrir.

A medida, então, deve valer a partir da publicação do decreto, prevista ainda para esta quinta (14).

Dentre as medidas, estão:

  • Suspensão do transporte coletivo de passageiros entre rodovias e rios do estado;
  • Fechamento de todas as atividades e circulação de pessoas entre 19h e 6h; só pode sair de casa quem trabalha em áreas estratégicas: saúde, segurança pública, imprensa.
  • Farmácias devem funcionar, entre 19h e 6h, por delivery ou sob demanda.

Cemitérios lotados 

Assim, manaus registrou 198 enterros nesta quarta e bateu recorde de sepultamentos diários pelo quarto dia consecutivo.

Desse total, 87 enterros tiveram a causa declarada como Covid-19.

Assim, com aumento da demanda, a Prefeitura de Manaus ampliou horário do funcionamento dos cemitérios até as 18h.

Fonte: G1

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário