A economia nos Medicamentos Isentos de Prescrição

A função dos MIPs não acaba no auxílio ao bem-estar das pessoas

O primeiro vice-presidente da Abimip e diretor de Assuntos Regulatórios da Pfizer Consumer, Rodrigo Garcia, demonstra em uma pesquisa que há potencial de economia de aproximadamente R$ 400 milhões pelo sistema de saúde brasileiro com o uso de MIPs. Segundo a pesquisa, para cada R$ 1,00 gasto com um MIP, foram economizados até R$ 7,00.

O estudo deduziu o custo dos MIPs para o consumidor (R$ 61,2 milhões) dos gastos desnecessários com 5,1 milhões de consultas médicas (R$ 56,1 milhões) e a perda de dias de trabalho (R$ 369,2 milhões). Os dados utilizados são do Sistema Único de Saúde (SUS) e informações de consumo de MIPs no Brasil, da QuintilesIMS.

E essa cifra tem muitas oportunidades de crescimento. Para Garcia, o Brasil ainda está defasado em relação a outros países, que já tratam diversos medicamentos como MIPs. O Omeprazol, por exemplo, não é considerado isento de prescrição somente no Brasil e na Venezuela. 

O autocuidado pauta os hábitos que devem ser adquiridos no dia a dia do indivíduo, saiba mais.

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print
As farmácias na adesão ao tratamento

Edição 298 - 2017-09-01 As farmácias na adesão ao tratamento

Essa matéria faz parte da Edição 298 da Revista Guia da Farmácia.

Deixe um comentário