A importância da atuação clínica

A ação configura- -se como um desafio, mas é fato que faz a diferença para a saúde da população e garante um modelo de negócio viável

A Farmácia Clínica surgiu, há cerca de duas décadas, na Europa e nos Estados Unidos, trazendo uma nova visão da atividade do farmacêutico e uma grande mudança de paradigma. O farmacêutico que era o “profissional do medicamento”, se tornou “o profissional voltado ao usuário do medicamento”. O paciente passou a ser o foco de sua atividade. 

Em 2000, a Federação Farmacêutica Internacional (FIP) e a Organização Mundial da Saúde (OMS) redefiniram o papel do farmacêutico como cuidador, fundamentadas na valorização do ser humano e na atenção ao paciente.

No Brasil, a atividade clínica ainda é pouco consolidada, mas em todo o mundo, farmacêuticos atuam junto à equipe multiprofissional e ao paciente em hospitais e farmácias comunitárias. Essa interface ampla e o conhecimento técnico permitem ao farmacêutico realizar conciliação, avaliação das prescrições e intervenções farmacêuticas; participar de visitas multiprofissionais de acompanhamento farmacoterapêutico; monitorar interações e problemas relacionados a medicamentos; orientar pacientes sobre a relevância da adesão ao tratamento; sobre os problemas da automedicação; entre outros. 

Essa atuação é muito importante. Segundo a OMS, 50% dos pacientes tomam medicamentos de forma incorreta  e o percentual de internações devido às reações adversas a medicamentos em alguns países é em torno ou acima de 10%. 

Diversos estudos mostram que a atuação clínica do farmacêutico melhora a adesão ao tratamento; diminui reações adversas, interações, tempo de internação, morbidade, mortalidade e custos do tratamento e melhora a qualidade de vida. Isso não é pouca coisa em um país em que a população carece de cuidados com a saúde e tem dificuldades em conseguir atendimento.

A efetivação da farmácia clínica no País tem sido um grande desafio, mas o Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo (CRF-SP) crê num futuro em que o farmacêutico prestará serviços centrados no paciente, cooperando com outros profissionais de saúde, fazendo a diferença para a saúde da população e garantindo um modelo de negócio viável. 

Temos realizado diversas ações para incentivar a efetiva implementação e, neste momento, a diretoria está viajando todo o estado, para discutir esse desafio. No período de agosto a 16 de novembro, estamos realizando, nas seccionais do CRF-SP, a palestra “Farmácia Clínica como nova perspectiva de sucesso para o farmacêutico”. Verifique no portal do CRF-SP a data da palestra em sua região e participe.

Autor: Dr. Pedro Menegasso
Presidente do Conselho Regional de Farmácia do Estado de São Paulo (CRF-SP)

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print
Opção de escolha

Edição 286 - 2016-09-01 Opção de escolha

Essa matéria faz parte da Edição 286 da Revista Guia da Farmácia.

Sobre o colunista

Deixe um comentário