Agilidade na entrega de medicamentos

Ainda que o País esteja em época de crise financeira, segmento farmacêutico fechou o ano em alta. Melhorar eficiência é crucial nesse cenário

Em 2016, segundo a Associação Brasileira de Distribuição e Logística de Produtos Farmacêuticos (Abradilan), foram comercializadas 936 milhões de unidades de medicamentos, conforme pesquisa realizada pelo QuintilesIMS.

Em 2015, foram 874 milhões de unidades comercializadas. Isso representa um aumento de 7,2%. Em relação ao faturamento de 2016, o valor foi de R$ 15.766 bilhões, sendo que, no mesmo período de 2015, o montante chegou a R$ 14.135 bilhões. Isso representa um aumento de 11,5% no faturamento.

Esse crescimento do setor farmacêutico em todo País, mesmo em época de crise, tem trazido ao mercado a necessidade de maior eficiência nos seus processos de entrega. Por conta dessa realidade, a questão da qualidade logística tem se tornado fundamental.

A qualidade em logística farmacêutica significa atender aos requisitos voltados ao controle de processos, incluindo expedição, armazenamento e transporte em todas as suas etapas, até a entrega do produto ao destinatário final. 

Para efetuar tal controle, temos a base da qualidade do segmento farmacêutico, ou seja, as Boas Práticas de Fabricação (BPF), determinadas pela Resolução de Diretoria Colegiada (RDC) 17/10 da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Além de atender às normas dos órgãos reguladores, é preciso que os operadores logísticos estejam cada vez mais atentos, garantindo eficiência e satisfação de toda a cadeia, tanto para o varejo quanto para o consumidor final. O modal aéreo é um dos caminhos para garantir agilidade, eficiência e transporte seguro para a indústria farmacêutica.

Uma agenciadora de carga aérea coleta o medicamento na indústria, embarca na companhia aérea e acompanha a entrega do produto até o seu destino final, dando maior agilidade e segurança na hora da entrega da mercadoria.

Além disso, realiza ainda entregas urgentes de vacinas e medicamentos, produtos farmacêuticos, medicamentos controlados, distribuição de produtos de beleza, higiene pessoal, entre outros segmentos.

Geralmente, esse tipo de serviço é prestado com 100% da frota rastreada por meio de modernos equipamentos. Independentemente do serviço a ser executado, durante todos os processos de coleta, transferência e entrega, a frota é monitorada 24 horas, minuto a minuto, por intermédio de uma Central Gerenciadora de Riscos, o que garante total segurança na distribuição da carga. 

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print
As farmácias na adesão ao tratamento

Edição 298 - 2017-09-01 As farmácias na adesão ao tratamento

Essa matéria faz parte da Edição 298 da Revista Guia da Farmácia.

Sobre o colunista

Deixe um comentário