fbpx

As tecnologias que vieram para ficar

Os meses finais do ano direcionam ações para o que deve ser feito em 2019

Vem aí o último trimestre de 2018 e, mesmo com todas as incertezas do mundo e do Brasil, a vida segue e o varejo também. O conceito de big data já é um ativo básico para alavancar negócios, mas ainda vamos assistir a mais um “round” do varejo tentando compreender o consumidor que requer dose extra de atenção para ser conquistado. Precisamos estar atentos, pois o próximo ano será de consolidação de algumas tecnologias com as quais estamos começando a nos acostumar e que terão impacto no dia a dia do varejo farma, como, por exemplo:

Dispositivos móveis

Isso já é praticamente uma realidade. O uso tem aumentado em função da comodidade e da praticidade para o consumidor. A popularização dos aplicativos simplificou a aquisição de bens e serviços pelo celular e o consumidor anda mais propenso a fechar negócios, demonstrando que os investimentos em segurança e logística das empresas estão sendo recompensados.

“Apps”

O que já foi uma dificuldade econômica para os empresários está se tornando uma possibilidade. Esse empecilho não é mais barreira: há mais empreendedores criando programas com valores acessíveis e mais consumidores comprando on-line, o que significa que o investimento tem mais chance de retorno hoje do que tinha ontem.

O desafio ainda é desenvolver um “app” que ofereça ao cliente uma experiência de compra rica o suficiente para convencê-lo a manter o programa instalado em seu celular e usá-lo com frequência.

Realidade virtual e aumentada

Graças a elas, o consumidor poderá, por exemplo, “ver” como um móvel novo ficaria em sua sala, ou a maquiagem em seu rosto. Com auxílio dos óculos de realidade virtual, o cliente pode, virtualmente, caminhar por uma loja e escolher diretamente nas gôndolas.

Inteligência Artificial (IA)

O reconhecimento vocal ou facial, as impressões digitais, a pressão aplicada ao tocar a tela, todos serão combinados em um mix com enorme potencial de segurança e conforto para os usuários. Isso fará com que as experiências de pagamento gerem maior prazer e alegria para os clientes.

Lojas tecnológicas

Poderemos ter algumas experiências de lojas sem caixas e com um número mínimo de atendentes, mas é principalmente na área da mercadoria que a tecnologia será importante, onde as gôndolas estarão conectadas a sistemas que “entendem” quais produtos foram retirados, quem está comprando e quanto os itens comprados custam. Basta o cliente colocar o que quer levar em uma sacola e sair da loja.

Mobilidade Urbana

Os “drones” ainda são uma realidade remota no País, mas o conceito de “levar a loja até sua casa” vem ganhando terreno de várias formas.

São tempos interessantes estes em que vivemos. O importante é manter a mente aberta aos novos e instigantes cenários para trabalhar.

Tecnologia aplicada ao varejo

Edição 310 - 2018-09-01 Tecnologia aplicada ao varejo

Essa matéria faz parte da Edição 310 da Revista Guia da Farmácia.

Sobre o autor

Silvia Osso

Palestrante e consultora de empresas. Especialista em varejo e autora dos livros destinados ao varejo e serviços denominados "Atender bem dá lucro"; "Administração de recursos humanos em farmácia", "Programa prático de Marketing e Farmácias"; "Liderança para Todos" . Para adquirir os livros, acesse: www.lojacontento.com.br. E-mail: siosso@uol.com.br.