As tecnologias que vieram para ficar

Os meses finais do ano direcionam ações para o que deve ser feito em 2019

Vem aí o último trimestre de 2018 e, mesmo com todas as incertezas do mundo e do Brasil, a vida segue e o varejo também. O conceito de big data já é um ativo básico para alavancar negócios, mas ainda vamos assistir a mais um “round” do varejo tentando compreender o consumidor que requer dose extra de atenção para ser conquistado. Precisamos estar atentos, pois o próximo ano será de consolidação de algumas tecnologias com as quais estamos começando a nos acostumar e que terão impacto no dia a dia do varejo farma, como, por exemplo:

Dispositivos móveis

Isso já é praticamente uma realidade. O uso tem aumentado em função da comodidade e da praticidade para o consumidor. A popularização dos aplicativos simplificou a aquisição de bens e serviços pelo celular e o consumidor anda mais propenso a fechar negócios, demonstrando que os investimentos em segurança e logística das empresas estão sendo recompensados.

“Apps”

O que já foi uma dificuldade econômica para os empresários está se tornando uma possibilidade. Esse empecilho não é mais barreira: há mais empreendedores criando programas com valores acessíveis e mais consumidores comprando on-line, o que significa que o investimento tem mais chance de retorno hoje do que tinha ontem.

O desafio ainda é desenvolver um “app” que ofereça ao cliente uma experiência de compra rica o suficiente para convencê-lo a manter o programa instalado em seu celular e usá-lo com frequência.

Realidade virtual e aumentada

Graças a elas, o consumidor poderá, por exemplo, “ver” como um móvel novo ficaria em sua sala, ou a maquiagem em seu rosto. Com auxílio dos óculos de realidade virtual, o cliente pode, virtualmente, caminhar por uma loja e escolher diretamente nas gôndolas.

Inteligência Artificial (IA)

O reconhecimento vocal ou facial, as impressões digitais, a pressão aplicada ao tocar a tela, todos serão combinados em um mix com enorme potencial de segurança e conforto para os usuários. Isso fará com que as experiências de pagamento gerem maior prazer e alegria para os clientes.

Lojas tecnológicas

Poderemos ter algumas experiências de lojas sem caixas e com um número mínimo de atendentes, mas é principalmente na área da mercadoria que a tecnologia será importante, onde as gôndolas estarão conectadas a sistemas que “entendem” quais produtos foram retirados, quem está comprando e quanto os itens comprados custam. Basta o cliente colocar o que quer levar em uma sacola e sair da loja.

Mobilidade Urbana

Os “drones” ainda são uma realidade remota no País, mas o conceito de “levar a loja até sua casa” vem ganhando terreno de várias formas.

São tempos interessantes estes em que vivemos. O importante é manter a mente aberta aos novos e instigantes cenários para trabalhar.

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print
Tecnologia aplicada ao varejo

Edição 310 - 2018-09-01 Tecnologia aplicada ao varejo

Essa matéria faz parte da Edição 310 da Revista Guia da Farmácia.

Sobre o colunista

Palestrante e consultora de empresas. Especialista em varejo e autora dos livros destinados ao varejo e serviços denominados "Atender bem dá lucro"; "Administração de recursos humanos em farmácia", "Programa prático de Marketing e Farmácias"; "Liderança para Todos" . Para adquirir os livros, acesse: www.lojacontento.com.br. E-mail: siosso@uol.com.br.