Brasil é o sexto maior mercado farmacêutico do mundo

Em 2017, o País subiu duas posições no ranking global

Apesar da crise e com vendas estimadas em US$ 33,1 bilhões em 2017 (com base nos preços fábrica), o Brasil subiu duas posições no ranking global, tornando-se o sexto maior mercado farmacêutico do mundo, atrás dos Estados Unidos, da China, do Japão, da Alemanha e da França, segundo a IQVIA.

Além disso, conforme a pesquisa, espera-se que as vendas de medicamentos no País continuem a crescer a uma taxa anual composta entre 5% e 8% no período 2018-2022, bem acima do aumento dos gastos globais com medicamentos. “Como resultado, o Brasil deve se tornar o quinto maior mercado farmacêutico do mundo até 2022, superando a França”, afirma Mladenov.

Ainda de acordo com a pesquisa, ao mesmo tempo em que o País ganhou posições no ranking global, as vendas de medicamentos genéricos também cresceram 15,7% (dados do Sindusfarma). “Em unidades, as vendas subiram 11,7%, atingindo uma participação de 32% do mercado farmacêutico. Isso se deve ao seu preço competitivo (são pelo menos 35% mais baratos que os medicamentos de referência, de acordo com a lei), ao aumento do número de classes terapêuticas e à maior confiança do consumidor em medicamentos genéricos”, acredita.

Segundo ele, fatores adicionais foram as políticas do governo para fomentar as vendas de genéricos e ampliar o acesso ao tratamento médico para a população de baixa renda (por exemplo, o Programa Farmácia Popular do Brasil) e para apoiar a indústria farmacêutica nacional, que é em grande parte voltada à produção desse tipo de medicamentos.

“No primeiro trimestre de 2018, os genéricos continuaram sendo o principal motor do mercado, com aumento anual das vendas de 12,6% e 6,8% em receita e em unidades, respectivamente”, diz.

O Brazil Pharma and Healthcare Sector 2017/2021 apontou ainda que os Medicamentos Isentos de Prescrição (MIPs), incluindo dermocosméticos, foram outro segmento relativamente protegido da desaceleração do mercado. Algumas das razões destacadas para esse resultado são: a crescente conscientização da população sobre sua saúde; o lançamento de novos produtos, como alimentos funcionais e nutracêuticos; a cultura da automedicação no Brasil; e a contínua expansão das modernas redes de farmácias.

Em termos de medicamentos prescritos, a EMIS Insights também destaca o crescimento robusto das vendas de medicamentos biológicos, produzidos a partir de moléculas mais complexas (material genético ou alteração de genes) para o tratamento de doenças crônicas e câncer.

“Isso é apoiado pela acelerada mudança do perfil epidemiológico do País, pelo envelhecimento da população e pela crescente incidência de doenças crônicas não transmissíveis”, explica Mladenov.

Análise da EMIS Insights aponta que o Brasil deve se tornar o quinto maior mercado farmacêutico do mundo até 2022, superando a França.

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print
Terceira idade em destaque

Edição 307 - 2018-06-01 Terceira idade em destaque

Essa matéria faz parte da Edição 307 da Revista Guia da Farmácia.