Como trabalhar os descongestionantes no ponto de venda?

Entre os meses de março e junho se instala o outono, estação caracterizada pelo início da queda das temperaturas, redução da umidade do ar, aglomeração de pessoas em ambientes fechados, aumento dos ventos e consequente queda de folhas das árvores

Sinalização

Como a congestão nasal costuma ser um sintoma de diversas doenças, os descongestionantes podem estar ao lado de medicamentos antigripais, antitérmicos, analgésicos e antialérgicos1. É importante manter esses produtos agrupados, de forma que faça sentido para o shopper e gere uma melhor experiência de compra2,3.

Visibilidade

Os produtos à base de cloreto de sódio e, portanto, isentos de prescrição médica, devem ser expostos no autosserviço, pois isto torna a experiência do shopper mais agradável e aumenta o potencial de vendas3. Os descongestionantes devem ser mantidos na altura dos olhos e com facing (apresentação dos produtos de frente na primeira fila do expositor) correto para atender à alta demanda durante a sazonalidade2,3.

Restrições

Produtos que levam em sua formulação substâncias vasoconstritoras (como nafazolina e fenoxazolina) são vendidos sob prescrição médica e possuem tarja vermelha. Dessa forma, apenas podem ser expostos atrás do balcão1,3.

Estoques

No período de picos de vendas desses produtos, entre o outono e o inverno, deve-se ter atenção especial à reposição dos itens para evitar rupturas2.

Organização

Os descongestionantes nasais englobam diversos produtos e formas farmacêuticas, portanto, a distribuição deles nas gôndolas deve seguir uma sequência lógica para o shopper. O primeiro passo nesse sentido é a divisão entre apresentação adulto e infantil; e, depois, uso tópico ou oral.
Além disso, devem ter maior visibilidade na prateleira as formas farmacêuticas e marcas de maior relevância2. Os descongestionantes também podem estar posicionados no checkout do consumidor, próximos aos caixas4.

A obstrução nasal é um desconforto que faz parte do dia a dia de muitos brasileiros e aumenta com a aproximação do outono. Entenda os motivos e os medicamentos que podem ser usados para combater o quadro.

Fontes: 1. Assessoria de imprensa de Rinosoro; 2. Diretora de marketing OTC/MIP do Aché Laboratório Farmacêutico, Marcia Braga; 3. Coordenador de trade marketing da GSK, Thiago Ayres; e 4. Diretor da unidade de marcas da EMS, Luiz Fernando Dias
Foto: Shutterstock

Inovação é chave do sucesso

Edição 304 - 2018-03-01 Inovação é chave do sucesso

Essa matéria faz parte da Edição 304 da Revista Guia da Farmácia.

Sobre o autor

Guia da Farmácia

Premiado pela Anatec na categoria de mídia segmentada do ano, o Guia da Farmácia é hoje a publicação mais conhecida e lembrada pelos profissionais do varejo farmacêutico. Seu conteúdo diferenciado traz informações sobre os principais assuntos, produtos, empresas, tendências e eventos que permeiam o setor, além de Suplementos Especiais temáticos e da Lista de Preços mais completa do mercado.