Dor muscular

Este tipo de dor está associado à sobrecarga e pode atingir pessoas que exigem muito da musculatura

Associada à sobrecarga, seja de treinamento ou atividade física rotineira, a dor muscular pode atingir desde os praticantes de atividades físicas diversas, até mesmo pessoas que precisem exigir muito da musculatura em suas atividades profissionais.

Para o fisiologista do esporte do HCor, Diego Leite de Barros, a dor muscular pode indicar uma série de coisas, entre elas, a existência de lesões, como distensão, estiramento, contratura e até a ruptura da fibra muscular.

“A dor muscular é uma reação do músculo para reparar as fibras que foram danificadas, e regiões, como a posterior da coxa, são as que apresentam grande incidência de problema”, conta Barros.

Aos atletas de fim de semana ou àqueles que praticam atividade física sem supervisão, o educador físico e especialista em Fisiologia do Exercício, Gilberto Coelho, relata que existem as dores que são inerentes aos estímulos provocados pelos exercícios físicos, chamadas de microlesões que em algumas horas ou poucos dias passam.

“Porém, as dores decorrentes por lesões maiores e sérias podem ser evitadas, principalmente, quando o treinamento físico é feito sob a orientação de um profissional capacitado”, comenta.

As dores musculares podem ser divididas em localizadas, como, por exemplo, causadas por tensão ou secundárias a doenças degenerativas, como a discoartrose lombar e cervical; e secundárias, como a fibromialgia, infecção viral ou bacteriana, hipotireoidismo, entre outros.

“Por experiência, registramos muitas queixas de dor muscular na coluna cervical, que podem ser causadas por tensão, má postura no trabalho, além do uso inadequado do celular”, conta a reumatologista do Hospital Bandeirantes, Dra. Tatiana Bueno Tardivo Farhat.

Segundo ela, outra queixa comum é a dor na coluna lombar, que está relacionada à obesidade ou às atividades físicas laborativas ou físicas.

A prevenção das dores musculares consiste, explica Barros, em melhorar a flexibilidade dos músculos. “Não apenas alongando antes da prática de exercício, mas tendo isto como uma premissa para melhorar a qualidade de vida. Além disso, realizar um trabalho de fortalecimento dos músculos também é importante para estar preparado para as atividades rotineiras”, diz.

Conforme a Dra. Tatiana, o tratamento da dor muscular depende da causa. “Em causas tensionais ou mecânicas, podem-se usar medicamentos analgésicos, anti-inflamatórios, relaxante muscular e repouso. Além disso, também é possível indicar fisioterapia analgésica e até a massoterapia, mas tudo vai depender do diagnóstico”, diz.

Ao menos 30% dos indivíduos serão afetados por algum tipo de dor durante a vida. Saiba mais sobre os tipos de dores.

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print
Farmacêutico na mira

Edição 296 - 2017-07-01 Farmacêutico na mira

Essa matéria faz parte da Edição 296 da Revista Guia da Farmácia.

Deixe um comentário