Entenda a diferença dos medicamentos com tarja vermelha, preta e sem tarja

Ou seja, ainda que o medicamento seja usado em dose errada ou para fins equivocados, há a segurança de que o paciente não terá sua saúde danificada.

Nesse sentido, é importante frisar que os MIPs não curam doenças, mas tratam os sintomas que incomodam o paciente, como uma dor de cabeça, azia ou dor muscular. Porém, se os sintomas persistirem, vale a máxima de buscar um médico de confiança.

Essa consciência deve fazer parte de um pensamento que ainda atinge muitos brasileiros: a confusão entre os termos de autocuidado e automedicação. Quando medicamentos que necessitam de prescrição são usados pelo paciente sem orientação, podem expô-lo a efeitos adversos, que podem mascarar uma doença ou até mesmo agravá-la, além de causar intoxicação.

“Aqui, o termo é confundido com a autoprescrição, que é a prática (incorreta) de comprar e utilizar medicamentos tarjados sem a receita de um médico. Por isso, definimos a utilização responsável dos MIPs como sendo uma prática de autocuidado, que está alinhada com a classificação da OMS”, explica Marli.

Para entender melhor a diferença entre o autocuidado e a automedicação, é preciso orientar os consumidores sobre a classificação existente entre os medicamentos:

Tarja vermelha

Necessitam de receita médica, pois são destinados a quadros clínicos que exigem maior cuidado e controle. Alguns precisam que a receita médica seja retida, pois são medicamentos controlados e psicotrópicos, que podem causar dependência e trazer muitos efeitos colaterais e contraindicações.

Tarja preta

São vendidos, também, somente com receita médica, mas necessitam de maior controle, já que podem apresentar mais efeitos colaterais e reações adversas, possuem ação sedativa e podem causar dependência.

Sem tarja

Os chamados MIPs podem ser tomados e adquiridos sem prescrição médica. São indicados para tratar sintomas menores e conhecidos.

Saiba mais sobre o autocuidado, pauta dos hábitos que devem ser adquiridos no dia a dia do indivíduo.

 

 

Foto: Shutterstock

As farmácias na adesão ao tratamento

Edição 298 - 2017-09-01 As farmácias na adesão ao tratamento

Essa matéria faz parte da Edição 298 da Revista Guia da Farmácia.

Sobre o autor

Guia da Farmácia

Premiado pela Anatec na categoria de mídia segmentada do ano, o Guia da Farmácia é hoje a publicação mais conhecida e lembrada pelos profissionais do varejo farmacêutico. Seu conteúdo diferenciado traz informações sobre os principais assuntos, produtos, empresas, tendências e eventos que permeiam o setor, além de Suplementos Especiais temáticos e da Lista de Preços mais completa do mercado.