fbpx

Esofagite, gastrite e refluxo: entenda causas e tratamentos

Dietas ricas em gorduras, frituras, refrigerantes e álcool são alguns dos motivos que levam a desarranjos estomacais

Esofagite, gastrite, refluxo… são diversos os problemas gástricos que podem ocorrer. Mas, qual a diferença entre cada um deles?

Esofagite ou esofagite erosiva

É a inflamação do esôfago, tubo que liga a boca ao estômago. Os sintomas mais comuns são dificuldade para engolir, dor no peito, náuseas, vômito, dor abdominal, tosse e perda de apetite. Em alguns casos, os pacientes também percebem que os alimentos ingeridos ficam presos no esôfago, não completando o caminho até o estômago como deveriam.

Gastrite

Problema muito comum em boa parte da população, a gastrite causa sensação de queimação no estômago, azia e inchaço na região abdominal. Isso acontece porque o estômago perde a proteção das mucosas. Assim, ao ingerir um alimento mais ácido, suas paredes ficam mais irritadas e feridas. Normalmente, a doença surge devido a fatores externos como má alimentação, ingestão de bebidas alcoólicas em excesso, estresse, tabagismo e até mesmo devido ao uso excessivo ou indiscriminado de medicamentos.

Doença do Refluxo Gastroesofágico (DRGE)

Azia, rouquidão ou tosse frequente, mas sem produção de catarro ou febre, pode indicar, entre as possibilidades, o refluxo. Em alguns casos, o problema pode acontecer por conta da hérnia de hiato, alteração anatômica que faz com que o estômago suba pelo diafragma, músculo essencial para a respiração, que separa a cavidade torácica da abdominal, até o esôfago.1

Formas de tratamento para esofagite, gastrite e refluxo

Para sintomas de dor e queimação: os medicamentos normalmente utilizados nesses casos são inibidores da bomba ácida como o omeprazol, anti-histamínicos H2 como a ranitidina. Além desses, antiácidos como o hidróxido de alumínio, magnésio ou a combinação de ambos, que ajudam a diminuir a acidez estomacal, aliviando os sintomas.

Para sensação de enchimento e trânsito lento: nesses casos, são usados os medicamentos procinéticos como ondasentrona, metoclopramida e bromoprida. Eles agem inibindo náuseas, vômito e acelerando o esvaziamento gástrico. Isto porque apresentam a capacidade de estimular, coordenar e restaurar a motilidade gástrica.

Apresentações de antiácidos e digestivos

Pós efervescentes e líquidos: tendem a atuar mais rápido do que as pastilhas e tabletes. Isto porque o princípio ativo já está solubilizado e pronto para agir.

Pastilhas e tabletes: precisam se dissolver no estômago para começar a ação. Por isso, podem levar um pouco mais de tempo. Entretanto, podem ser úteis para mascarar algum sabor que possa ser inconveniente na formulação líquida.

Fontes: 1- Blog do Nove, do Hospital 9 de Julho; 2- Gerente médica da Aspen Pharma, Dra. Sandra Bandeira; gerente médica da GSK Consumer Heathcare no Brasil, Dra. Ana Santoro; e superintendente de assuntos regulatórios da Natulab, Olavo Rodrigues

Foto: Shutterstock

Os excessos dos foliões no Carnaval

Sazonalidade a favor do varejo

Edição 308 - 2018-07-01 Sazonalidade a favor do varejo

Essa matéria faz parte da Edição 308 da Revista Guia da Farmácia.