fbpx

O farmacêutico competente

Um conjunto de habilidades faz com que o profissional se destaque frente à concorrência e se transforme em alguém confiável e de credibilidade

Iniciamos o artigo lembrando o que é competência, um conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes que juntos formam a aptidão para cumprir a tarefa de forma competente, excelente.

Competências que diferenciam no contexto do empregador (farmácia) e trazem muito valor ao farmacêutico.

Conhecimento

Técnico, específico e humano. É o saber técnico, específico e também o conhecimento humano. Tão útil e imprescindível para o profissional. Aqui, enquadramos as formações, os estudos, os livros lidos e toda a gama de conhecimentos.

Habilidade

Todo esse conhecimento adquirido na formação, de maneira isolada, não é suficiente para o profissional ser competente, seguro e um diferencial, como proposto no artigo.

É necessário a habilidade, o fazer com segurança, confiança e qualidade necessária para encarar todos os desafios que o mercado de trabalho tem.

Atitude

Já temos todo o conhecimento, a habilidade em fazer aquilo, adquiridos pela aplicabilidade do conhecimento e agora temos a atitude. O querer fazer, o querer aplicar.

Se o conhecimento é o saber, a habilidade é o saber fazer… a atitude é o querer fazer.

Atitude está ligada à ação, ao porquê está fazendo o que está fazendo, à escolha, ao julgamento, à decisão.

Esse conjunto de três letras “CHA” torna o farmacêutico ideal, imprescindível e capaz de atuar como um diferencial para as farmácias do País.

Alguém que faz a diferença, que sempre possui emprego, ganha mais que todos e que é requisitado por seus pacientes.

Estuda, é especialista e possui atitudes de um farmacêutico competente.

Foto: Shutterstock

Passagem obrigatória

Edição 299 - 2017-10-23 Passagem obrigatória

Essa matéria faz parte da Edição 299 da Revista Guia da Farmácia.

Sobre o colunista

Marcelo Cristian Ribeiro

Farmacêutico e consultor da Desenvolva Consultoria e Treinamento