fbpx

O que acontece quando uma pessoa para de fumar?

O cigarro mata 7 milhões de pessoas anualmente, o que corresponde a mais da metade dos usuários, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS)

O tabagismo está associado a mais de 50 tipos de doenças. Entre elas estão:

  • Diversos tipos de câncer (pulmão, laringe, esôfago, estômago, pâncreas, fígado, rim, bexiga, colo de útero, entre outros);
  • Doenças do aparelho respiratório (enfisema, bronquite crônica e asma);
  • Doenças cardiovasculares.

Segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, os fumantes vivem, em média, 10 anos menos que aqueles que não fumam.

O que acontece quando uma pessoa para de fumar?

20 minutos:

A frequência cardíaca e a pressão arterial voltam aos níveis normais.

48 horas:

As terminações nervosas começam a se regenerar. O olfato e o paladar melhoram.

2 semanas:

A função pulmonar começa a melhorar.

1 ano:

O risco de doença coronária cai para a metade.

5 anos:

O risco de ter um derrame é o mesmo de uma pessoa que nunca fumou.

10 anos:

O risco de morrer de câncer de pulmão cai para a metade em comparação com quem fuma.

Ao parar de fumar, a vida financeira da pessoa melhora:

Quem fuma um maço de cigarros por dia gasta em média R$ 240 por mês, considerando um custo de R$ 8. Por ano, o gasto médio sobe para R$ 2.880.

Com esse dinheiro, ela poderia:

  • Comprar uma passagem aérea para os Estados Unidos;
  • Pagar à vista o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA);
  • Quitar uma parte do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU);
  • Ir mais ao cinema, teatro e shows.

Ajuda a parar de fumar, também, a dissociação de hábitos. Os usuários acostumam-se a tomar café e fumar, usar bebida alcoólica e fumar, almoçar e fumar logo em seguida, entre outros costumes. Tirar essa parte do vício é importante para que não se tenha desejos de uma maneira psicológica.

Existe certo comodismo, também, entre as pessoas que querem parar de fumar. O corpo humano não gosta de situações que são modificadas e trazem mal-estar. Quando a pessoa tenta parar de fumar, o cérebro diz: “não, eu preciso dessa substância, não pare”. Por isso, é um balanço entre a força de vontade e os elementos de estabilidade emocional versus a substância que está nos receptores.

“Não existe um uso seguro do cigarro. Ele pode causar cânceres, hipertensão, bronquite crônica, infarto, angina, doenças arteriais, entre outras. As mulheres que fumam têm maior incidência de embolia pulmonar, além de o cigarro causar complicações na gravidez, menopausa precoce, infertilidade, impotência sexual, osteoporose e úlcera no aparelho digestivo. O corpo todo fica prejudicado, além de ser óbvio que o pulmão seja o órgão com maior área de exposição”, alerta o pneumologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz.

Contra o tabagismo

Edição 309 - 2018-08-01 Contra o tabagismo

Essa matéria faz parte da Edição 309 da Revista Guia da Farmácia.

Sobre o autor

Guia da Farmácia

Premiado pela Anatec na categoria de mídia segmentada do ano, o Guia da Farmácia é hoje a publicação mais conhecida e lembrada pelos profissionais do varejo farmacêutico. Seu conteúdo diferenciado traz informações sobre os principais assuntos, produtos, empresas, tendências e eventos que permeiam o setor, além de Suplementos Especiais temáticos e da Lista de Preços mais completa do mercado.