Orientação no atendimento aos idosos na farmácia

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indicam que 40% da população adulta brasileira tem, ao menos, uma Doença Crônica Não Transmissível (DCNT).

E muitas essas enfermidades, como diabetes e hipertensão, têm a proporção aumentada com o passar da idade. A obesidade também merece atenção especial. Afinal, o distúrbio interfere, diretamente, em problemas, como incapacidade do idoso, bem como redução da expectativa de vida. 

Orientações gerais de atendimento

• Realize campanhas de educação em saúde, com especial enfoque nos conceitos das doenças e suas características.

• Explique sobre a importância da adesão ao tratamento medicamentoso, bem como para mudanças necessárias no estilo de vida.

• Forneça informações detalhadas e compreensíveis sobre os eventuais efeitos adversos dos medicamentos prescritos e necessidades de ajustes posológicos junto ao médico.

• Orientações quanto à rotina de tomada dos medicamentos (com água, com ou sem alimento…) podem prevenir reações indesejáveis, facilitando a adesão.

•Quando possível, ofereça uma boa prestação de serviços, contemplando monitoramentoperiódico dos parâmetros bioquímicos e fisiológicos, e entregue ao paciente, ao fim do acompanhamento, um relatório que pode ser entregue ao médico.

• Lembre-se de que as intervenções farmacêuticas devem ser documentadas.

Hoje, 12,5% da população é constituída por pessoas com 60 anos de idade ou mais, saiba mais sobre o atendimento nas farmácias diante do envelhecimento.

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print
As farmácias na adesão ao tratamento

Edição 298 - 2017-09-01 As farmácias na adesão ao tratamento

Essa matéria faz parte da Edição 298 da Revista Guia da Farmácia.

Deixe um comentário