Passo a passo para aplicação de injetáveis em farmácias

Algumas formas de Dor Neuropática (DN) podem ter injeções locais como indicação de tratamento e elas podem ser aplicadas em farmácias

A aplicação de injetáveis fideliza o cliente da farmácia. Acompanhe como proceder nesses casos:

QUAL A INFRAESTRUTURA NECESSÁRIA PARA APLICAÇÃO DE INJETÁVEIS?

O ambiente deve garantir a privacidade do atendimento. Além disso, deve contar com dimensões, mobiliário e infraestrutura compatíveis com os serviços que serão oferecidos. Precisa ter também mesa e cadeiras para o farmacêutico, usuário e acompanhante (se for o caso).

Ademais, o ambiente deve ser provido de lavatório com água corrente e dispor de toalha de uso individual e descartável. Sabonete líquido, gel bactericida e lixeira com pedal e tampa também são necessários. O local não deve possuir acesso ao sanitário.

PROFISSIONAIS NECESSÁRIOS À APLICAÇÃO DE INJETÁVEIS

É fundamental que o estabelecimento conte com farmacêuticos aptos para a prestação desse serviço, a fim de atender às necessidades de saúde do paciente. Os balconistas também podem prestar o serviço. Mas, precisam ter autorização expressa do farmacêutico diretor ou responsável técnico.

NORMAS PARA PRESTAR ESSE SERVIÇO

As farmácias devem desenvolver a Declaração de Serviços Farmacêuticos (artigo 81, da RDC 44/09), sempre que for realizada a aplicação de injetáveis. A declaração deve conter identificação do estabelecimento [nome, endereço, telefone e o Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ)], identificação do usuário ou do responsável legal, o serviço farmacêutico prestado, data, assinatura, carimbo do farmacêutico responsável pelo serviço com nome e número de inscrição no Conselho Regional de Farmácia (CRF).

QUAISQUER INJETÁVEIS PODEM SER APLICADOS?

Não há uma lista que defina quais medicamentos injetáveis podem ser administrados nas farmácias. Mas, há restrições com relação aos medicamentos para uso exclusivo em ambiente hospitalar. Neste caso, deve-se observar as especificações contidas na rotulagem do produto.

POR QUE AS INJEÇÕES PODEM CAUSAR DOR?

Em geral, as injeções costumam doer e são muitos os que atribuem este fato às características do líquido. Afinal, esse líquido, por vezes, é mais viscoso/oleoso. Entretanto, o desconforto pode vir da diferença de composição do medicamento e do organismo no local de aplicação. Além disso, há a diferença do pH do medicamento, apesar de todos os esforços no desenvolvimento farmacotécnico do medicamento em estabelecer um pH próximo da via de administração.

Outra justificativa para a dor fica para formas farmacêuticas classificadas como suspensão, que são partículas sólidas dispersas em um líquido. Portanto, utilizadas em agulhas de calibre maior. Nesse caso, a via intramuscular funciona como um “reservatório”. Ou seja, a dispersão do fármaco será lenta e, consequentemente, causará desconforto.

COMO REDUZIR O DESCONFORTO ENTRE OS PACIENTES?

Abordagem correta

Oriente o paciente sobre o que vai ser aplicado e como vai acontecer a aplicação, para que haja confiança no processo.

Locais de aplicação

Faça um rodízio para evitar áreas doloridas.

Orientações ao paciente

Deixe o paciente confortável e oriente-o para que fique com a musculatura relaxada no momento da injeção.

Qualidade da agulha

Esse equipamento deve ter silicone e bisel multifacetado, fazendo com que se reduza o desconforto e a penetração da substância.

Aplicação do profissional

Garanta que a penetração da injeção seja realizada em movimento único e contínuo, com equilíbrio e firmeza.

Orientação especial para frasco-ampola

Quando envolve a utilização de medicamento a partir de um frasco-ampola, haverá necessidade da troca da agulha após a retirada do medicamento do recipiente (a tampa de borracha pode danificar a agulha).

Caso seja uma ampola de vidro, deve–se trocar a agulha se houver algum esbarrão contra a parede de vidro. Além disso, na hora da aplicação, o êmbolo deverá ser empurrado de forma lenta e contínua.

Pós-aplicação

Caso o paciente se queixe de dor e desconforto após a injeção, oriente-o a realizar uma compressa de água quente, porque o calor ativa a circulação, além de ter ação analgésica.

Fonte: farmacêutica responsável pela Farmácia Universitária da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USP), Maria Aparecida Nicoletti

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print
Doenças de inverno

Edição 305 - 2018-04-01 Doenças de inverno

Essa matéria faz parte da Edição 305 da Revista Guia da Farmácia.