Prevenção e tratamento da hipertensão

A hipertensão não tem cura e, portanto, seu tratamento acompanhará o indivíduo pela vida toda

A hipertensão não tem cura e, portanto, seu tratamento acompanhará o indivíduo pela vida toda. A mudança de hábitos diários é tão importante para o hipertenso quanto o tratamento medicamentoso. Aliás, a adoção de uma vida saudável, com controle do peso corporal, prática regular de exercício físico, abandono do cigarro, consumo moderado de álcool e sal, por exemplo, contribui de forma preventiva para afastar o risco tanto da hipertensão como de outras doenças cardiovasculares e da obesidade.

Para o Dr. Krakauer, essas ações atenuam, inclusive, os riscos hereditários para a hipertensão. “Também é importante realizar a aferição da PA tanto de pacientes como de seus familiares. Além disso, quem tem sintomas ou fatores de risco deve procurar um médico”, comenta o cardiologista.

Ainda segundo ele, o tratamento não medicamentoso é indicado para todos os indivíduos, já os medicamentos são receitados de forma criteriosa, incluindo história, exame físico, sintomas, risco cardiovascular global do paciente e nível de PA encontrado em medida casual, Monitorização Ambulatorial da Pressão Arterial (MAPA) ou Medida Residencial da Pressão Arterial (MRPA).

Entre as classes de medicamentos utilizados para o tratamento da hipertensão, estão os betabloqueadores, assim como diuréticos, inibidores da enzima de conversão, antagonistas, entre outros.

Saiba mais sobre a hipertensão, doença que atinge 30% da população brasileira.

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print
Brasileiro deixa a desejar

Edição 297 - 2017-08-01 Brasileiro deixa a desejar

Essa matéria faz parte da Edição 297 da Revista Guia da Farmácia.

Deixe um comentário