fbpx

Como escolher o ponto de venda

Ter um olhar analítico ao escolher o ponto onde a loja ficará é fundamental

A escolha do local onde o negócio vai funcionar nem sempre é fácil, porém, pode ser simplificada se forem usados os passos a seguir.

1. Conheça seus futuros vizinhos: o ideal é que o interessado vá ao local e conheça as pessoas e os negócios que o circundam. Elas podem ser muito úteis para dar feedback sobre a região, como o fluxo de pessoas, carros, ramos de atividade mais demandadas ali, além, é claro, de dar detalhes sobre a segurança do local e até curiosidades importantes do bairro.

2. Prepare-se para negociar: informação é poder. Após selecionar um ponto, o interessado deve partir para a negociação. É nesse momento que as informações, como o preço do metro quadrado da região e, até mesmo, o valor dos aluguéis de espaços concorrentes podem se transformar em importantes argumentos para persuadir o proprietário do imóvel pretendido. Também é importante ter certa frieza, sabendo a hora certa de ceder, mas sem perder o foco no budget predefinido no planejamento. 

3. Fique de olho na concorrência: ao realizar a análise de disponibilidade de ponto, é preciso olhar os polos de atratividade e concorrência da região. Quanto mais lojas estiverem funcionando nos entornos, mais o ponto de venda se torna atraente.

4. O negócio cabe aqui? Uma pergunta simples, mas que muitas vezes é ignorada pelos empreendedores. É preciso saber se o ponto pode sofrer adaptações e o quanto isto impacta no orçamento do empreendedor. Este, aliás, pode ser um bom argumento para pedir desconto antes de fechar o negócio.

5. Como o cliente pode chegar até aqui? O empreendedor deve relacionar o produto ou serviço que vai oferecer com o movimento da região e como as pessoas têm acesso ao ponto escolhido. Lojas de artigos para a casa, por exemplo, devem estar no caminho de volta e não de ida do cliente. 

6. Comprar ou alugar? O aluguel é um bom ponto de partida. Alugar é mais aconselhável porque, desta forma, o empreendedor não está comprometendo o capital em um imóvel, ainda mais no início, em que o investimento com a operação, o fluxo de caixa e estoque é maior. A compra do imóvel, porém, pode ser considerada para uma segunda loja, já com mais conhecimento das particularidades do negócio e mais experiência adquirida. 

7. Como escolher entre dois pontos? Pior do que não encontrar um ponto para abrir o negócio é encontrar dois ótimos pontos e não conseguir se decidir sobre qual é a melhor opção. Para que os empreendedores não se precipitem e acabem escolhendo o errado, perca tempo e use a matemática. A melhor saída é contar quantas pessoas passam em cada um deles por dia e também nos fins de semana. Além disso, algumas perguntas-chave podem servir para desempatar: o local é acessível; os pedestres podem chegar tão facilmente quanto quem está de carro, por exemplo? 

Avanço na saúde

Edição 287 - 2016-10-01 Avanço na saúde

Essa matéria faz parte da Edição 287 da Revista Guia da Farmácia.

Sobre o colunista

Guilherme Siriani

Sócio diretor da EXPANSÃO, responsável pela gestão e pelo crescimento de redes varejistas por meio de franquias.



Deixe um comentário