Medicamento para Alzheimer reduz perda de memória em 32%

De acordo com a Eli Lilly, também houve um ganho na capacidade de realizar atividades da vida diária

Um medicamento experimental para Alzheimer da Eli Lilly & Company atingiu redução na perda de memória de pacientes com a doença em 32%. O anúncio fez com que as ações da companhia valorizarem em dois dígitos.

Às 12h56, os papeis subiam 12% na Bolsa de Valores de Nova York.

Além do progresso relacionado ao declínio da memória dos pacientes que tomaram a substância donanemab, em comparação com os indivíduos que ingeriram placebo, a companhia informou que houve também um ganho na capacidade de realizar atividades da vida diária.

Conforme o The Wall Street Journal, os dados são de um pequeno estudo da Lilly. Mas as informações obtidas renovaram as esperanças para novas terapias para combater a doença.

Foram 18 meses de pesquisa para a finalização desse medicamento para tratar o Alzheimer.

De acordo com o diretor científico da Lilly, Daniel Skovronsky, esse é o momento é único e um marco histórico para os pacientes com Alzheimer, tendo em vista que gera esperança novamente.

A companhia divulgou apenas alguns destaques dos resultados da pesquisa, mas garantiu, todavia, que fará uma publicação completa revisada por seus pares em breve.

Casos de doença de Alzheimer podem quadruplicar no País 

Covid-19 causa distúrbios neurológicos até em pacientes com sintomas leves 

Fonte: IstoÉ Dinheiro

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário