Merck Brasil amplia licença-paternidade de 20 para 60 dias

Casais homoafetivos e pais de adoção também garantem seu direito de participar dos dois primeiros meses da criança com a família

A Merck Brasil acaba de dar mais um passo que reforça o pilar estratégico de diversidade e inclusão da empresa, lançando oficialmente a ampliação da licença-paternidade de 20 dias para 60 dias para pais ou segundo cuidador.

Com isso, então, casais homoafetivos e pais de adoção também garantem, dessa maneira, seu direito de participar dos dois primeiros meses da criança com a família.

De acordo com a Constituição Federal, os funcionários têm direito a cinco dias corridos de licença parental contando desde o dia do nascimento da criança ou início do convívio familiar.

Dessa maneira, então, a iniciativa de ampliar ainda mais – além dos 20 dias previstos no Programa Empresa Cidadã, que já eram oferecidos:

O período de licença para os homens surgiu por meio do grupo de trabalho de Diversidade & Inclusão: Rainbow Network e WIL – Women in Leadership.

“A presença dos pais ou do segundo cuidador é fundamental na vida e no desenvolvimento do bebê ou integração da criança no novo núcleo familiar, especialmente em seus primeiros meses de vida. Por isso, a iniciativa, que amplia o tempo de licença, é válida para todos os colaboradores de todas as divisões de negócio da Merck para que possam juntos de seus parceiros(as) usufruírem de mais tempo com seu filho após o nascimento ou adoção”, conta a Head de RH da Merck, Edise Toreta.

10 ações para que as empresas avancem nas práticas de diversidade, equidade e inclusão 

Fonte: Merck Brasil

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário