fbpx

Metade dos paulistanos não praticou atividade física nos últimos 12 meses

Estudo mostra que metade dos paulistanos não praticou atividade física no último ano e que as mulheres são as mais sedentárias

Os números mostram que graves problemas de saúde têm crescido no Brasil: nos últimos 13 anos, o índice de obesidade aumentou 67,8, enquanto a hipertensão já chega a 24,7% da população. As doenças cardiovasculares matam cerca de 360 mil pessoas por ano no País.

Uma das alternativas para se combater esses fatores é a prática regular de atividades físicas. Mesmo assim, de acordo com o índice divulgado em setembro pela Rede Nossa São Paulo, quase metade da população paulistana não praticou qualquer exercício nos últimos 12 meses.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) indica que praticar ao menos 150 minutos de atividades físicas por semana agrega benefícios à saúde. De acordo com o levantamento, apenas 37% dos paulistanos praticam esporte ou fazem exercícios físicos; 15% praticaram nos últimos 12 meses, mas não atualmente; e 48% não praticam e nem praticaram nesse período. “O ser humano foi feito para se movimentar, contudo, cada vez mais passamos horas sentados em frente à televisão, olhando o celular ou no transporte público. É preciso, com a devida orientação médica, inserir uma rotina semanal de exercícios e entender que essa prática não é negociável”, afirma o profissional de Educação Física, Rogério Duarte dos Santos.

Apaixonada por yoga, a aposentada Maria Nazaré, 76 anos, levou um tombo há três anos e ficou com dores no ombro direito, por conta de dois tendões rompidos. “Os médicos queriam me operar, mas eu pedi para meu instrutor da academia organizar um programa especial para eu conviver com essas lesões e não sentir dor. Graças à musculação, com disciplina e orientação adequada, estou muito bem, com a saúde em dia”, conta ela, que pratica musculação há 35 anos.

Atividade física no dia a dia

Vale lembrar que atividades como corrida ou caminhada, bicicleta, além da natação, consideradas aeróbias, melhoram a circulação e a respiração. A musculação fortalece os músculos, aumenta a densidade óssea, previne a perda muscular, diminui a chance de lesões e dores nas costas e artrite, além de contribuir para o controle do peso corporal.

Dados do Ministério da Saúde mostram que, nos últimos 13 anos, o índice de obesidade no Brasil aumentou 67,8%. O problema já alcança 19,8% da população. Ou seja, um a cada cinco brasileiros pode ser considerado obeso, com maior recorrência nas mulheres. Isso porque 20,7% da população feminina apresentam obesidade, contra 18,7% dos homens.

A pesquisa da Rede Nossa São Paulo mostrou, também, que as mulheres são as mais sedentárias: 64% delas não praticam atividades físicas. Entre os motivos apresentados: a falta de tempo (39%) é o principal, seguidos de questões econômico-financeiras (24%) e preguiça e desmotivação (20%).

“ Para afastar a preguiça, ações simples como deixar de pegar elevador e escada rolante podem ser um bom começo para iniciar uma prática regular. Isso porque já começam a trazer benefícios para a saúde. Mas lembre-se, caminhar é gratuito! Comece com pequenos percursos, de pouco mais de 20 minutinhos diários, seja descendo duas paradas de ônibus antes e fazendo o restante a pé, ou até passeando com o animal de estimação. O importante é iniciar uma prática e transformá-la em um hábito saudável”, indica o educador físico.

Foto: Shutterstock
Fonte: Associação dos Funcionários Públicos do Estado de São Paulo

Deixe um comentário