fbpx

Microbioma: o que é e o que muda na medicina?

Semelhante ao microbioma intestinal, o microbioma cutâneo é o ecossistema invisível de microrganismos que vivem dentro da pele e em sua superfície

Bactérias, fungos, vírus – trilhões de microrganismos habitavam a Terra muito antes dos humanos existirem. Eles se adaptaram e evoluíram, mas sempre estiveram presentes onde a vida existe: no solo, nas plantas, nos animais e em nós. Nas últimas décadas, pesquisadores começaram a explorar e a entender o papel fundamental que eles desempenham em nossas vidas, através da presença dentro do nosso corpo e sobre ele: do nosso intestino ao cérebro e à nossa pele. Frequentemente descrito como um novo continente e nosso segundo genoma, o microbioma parece estar envolvido em muitos aspectos da saúde e da doença, da obesidade ao humor. Pesquisas recentes demonstraram que a compreensão do microbioma pode desempenhar um papel crucial na saúde do cérebro, na prevenção de doenças, e oferecer novas abordagens de diagnóstico que conduzam a uma saúde mais personalizada. 

Embora a atenção tenha sido focada principalmente no microbioma intestinal nos últimos anos, o microbioma da pele parece ser igualmente fascinante e influente na saúde da pele.

Semelhante ao microbioma intestinal, o microbioma cutâneo é o ecossistema invisível de microrganismos que vivem dentro da pele e em sua superfície, e seu equilíbrio é essencial para a saúde da pele como um sistema curativo e uma barreira naturais. Muitos fatores, como genética, estilo de vida, alimentação, higiene pessoal, idade, medicamentos e até pessoas e animais de estimação com os quais uma pessoa compartilha a sua casa influenciam sua composição. Como consequência, o microbioma de cada pessoa é exclusivo para ela, semelhante ao DNA, o que abre novas perspectivas para criar soluções dermatológicas mais eficientes e personalizadas para solucionar problemas de pele. 

Curiosidades sobre o microbioma

Você sabia? – 1,5kg. Cada pessoa tem em média 1,5 kg de micróbios no corpo e sobre ele, quase tanto quanto o peso do cérebro. – 2 milhões. Uma área da pele do tamanho de um centavo na testa de alguém contém mais de 2 milhões de micróbios. – 80 milhões. Cerca de 80 milhões de bactérias são transferidas durante um beijo de 10 segundos. Trilhões. Existem mais micróbios no corpo humano (estimados em trilhões) do que estrelas em nossa galáxia. 

Novas descobertas sobre microbioma e eczema 

Um exemplo de como a ciência do microbioma pode melhorar a vida das pessoas são as últimas descobertas relacionadas à pele propensa ao eczema (um termo geral que descreve a inflamação cutânea). A pesquisa recente de La Roche-Posay demonstrou que o eczema está associado a uma redução muito grande na diversidade bacteriana; com até 30% do ecossistema ocupado por apenas uma bactéria (Staphylococcus aureus) e que esse desequilíbrio é responsável por uma pele muito seca; coceira e crises recorrentes de eczema. 

Com base nessas descobertas científicas do microbioma, La Roche-Posay criou uma nova geração de emolientes, LIPIKAR Baume AP+M, para tratar melhor a pele muito seca e o eczema. A nova formulação foi projetada especificamente para combater o biofilme bacteriano criado pela bactéria Staphylococcus para se proteger; a fim de reforçar a barreira da pele e reduzir as recaídas de eczema. Dois de seus principais ingredientes são o microresil, que atua contra a criação do biofilme, e o Aqua Posae Filiformis, um ingrediente ativo patenteado exclusivo de La Roche-Posay, potencializado pela água termal da marca que reequilibra o microbioma da pele, regula a inflamação e aumenta o intervalo das crises em pacientes com eczema. Como resultado, uma nova eficácia de tripla reparação com efeito calmante imediato, anti-coceira, anti-recaída.

Foto: Shutterstock

Fonte: La Roche-Posay

Deixe um comentário