MIPs podem gerar economia de mais de R$ 300 milhões

Autocuidado diminui ida aos médicos e gastos com saúde

O uso de Medicamentos Isentos de Prescrição (MIPs) gera uma economia de aproximadamente R$ 400 milhões para o sistema de saúde. De acordo com o estudo “Utilização de MIPs e economias gerada para o sistema de saúde: uma revisão”, para cada R$ 1,00 gasto com MIPs, são economizados até R$ 7,00.

A economia estimada pela pesquisa deduziu o custo dos medicamentos para o consumidor (R$ 61,2 milhões) dos gastos desnecessários com 5,1 milhões de consultas médicas (R$ 56,1 milhões) e a perda de dias de trabalho (R$ 396,2 milhões). Foram usados valores de consultas ambulatoriais no Sistema Único de Saúde (SUS) e informações de consumo de MIPs no Brasil, da IQVIA.

ENTENDA O CÁLCULO
Consultas médicas + R$ 56,1 milhões
Perda de dias trabalhados + R$ 369,2 milhões
TOTAL DE GASTOS R$ 425,3 milhões
Custo dos MIPs para o consumidor – R$ 61.2 milhões
ECONOMIA PARA O SISTEMA DE SAÚDE R$ 364.1 milhões

 

“A segurança, a acessibilidade, a eficácia, a conveniência e a tolerabilidade dos MIPs já foram discutidos em numerosas publicações e o balanço favorável faz com que os MIPs sejam considerados como uma alternativa segura para contribuir com os sistemas de saúde”, reforça a vice-presidente da Associação Brasileira de Medicamentos Isentos de Prescrição (ABIMIP), Marli Sileci.

Para a Abimip, considerando a realidade de outros países, os MIPs têm potencial de reduzir o número de visitas desnecessárias às unidades de pronto-atendimento, desafogar os sistemas de saúde, evitar perdas de dias de trabalho e diminuir o volume de exames laboratoriais desnecessários.

Fonte: Federação Brasileira das Redes Associativistas e Independentes de Farmácias (Febrafar)
Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário