Mitos e verdades sobre alergia respiratória infantil

Crianças precisam de atenção especial

Os meses mais frios do ano podem ser prejudiciais para a saúde respiratória. Em especial entre as crianças, o excesso de poluição e baixa umidade do ar fazem com que as narinas fiquem congestionadas e com secreção, além do acometido sofrer com tosse seca e constante.

“Alguns podem apresentar a rinite alérgica, uma inflamação da mucosa do nariz que tem como sintomas coceira, espirros, nariz entupido e coriza. A rinite alérgica é menos comum nos primeiros dois anos de vida e começa a se tornar mais prevalente em crianças na idade pré-escolar e escolar”, explica a gerente médica de Consumer Healthcare da Sanofi, Dra. Talita Poli Biason.

Veja alguns mitos e verdades sobre alergia respiratória infantil. Entenda mais sobre a patologia:

Lavagens nasais podem ser feitas regularmente

Verdade. A higienização ajuda na remoção de partículas e moléculas que, ao entrarem em contato com a mucosa nasal, colaboram para o desencadeamento de crises de alergias. O paciente pode fazer a lavagem com uma solução nasal de cloreto de sódio 0,9%, pois fluidifica a secreção nasal sem agredir o nariz. Pode ser feita de duas a três vezes ao dia.

As alergias só acontecem em dias frios.

Mito. As crises podem ocorrer em qualquer época, mas o outono e o inverno aumentam os sintomas por causa do ar seco e temperatura mais baixa. Nessa época há, também, aumento da exposição dos ácaros e fungos.

Produtos com odor forte devem ser evitados.

Verdade. Os perfumes, mesmo os de fixação mais leve como águas de colônia, devem ser evitados pelos alérgicos e por pessoas próximas a eles. Os produtos de limpeza também devem ser usados longe da presença da criança.

Rinite alérgica tem cura.

Mito. A doença não tem cura definitiva, ainda que seja possível mantê-la sob controle por meio de emprego de um tratamento adequado e evitando o contato com agentes alergênicos.

Alérgicos podem praticar esportes.

Verdade. As crianças alérgicas podem e devem praticar esportes. No entanto, é recomendada uma conversa com o médico na hora de escolher o melhor esporte para cada uma.

Fonte: Maxpress Net
Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário