MSD e Ridgeback Biotherapeutics anunciam descobertas contra a Covid-19 no ensaio fase II de Molnupiravir

Resultados preliminares informam que houve uma redução mais rápida de infecções provocadas pelo novo coronavírus quando administrado na fase inicial da Covid-19

A MSD  e Ridgeback Biotherapeutics, empresa de biotecnologia, anunciaram no último dia  6,  os resultados preliminares do estudo de fase II, randomizado, duplo-cego, placebo que avalia a segurança, tolerabilidade e eficácia de molnupiravir (EIDD-2801 / MK-4482), um agente antiviral oral experimental, para eliminar o RNA viral SARS-CoV-2, causador da Covid-19.

As empresas relataram descobertas em um dos desfechos secundários do estudo de Fase II.

Mostrando, assim, uma redução no tempo (dias) para a negatividade do isolamento viral em swabs nasofaríngeos de participantes com infecção sintomática por SARS-CoV-2, conforme determinado pelo isolamento em linhagem de células vero em cultura.

Dessa maneira, estas descobertas preliminares foram apresentadas durante a conferência “Science SpotlightsTM 2021” sobre Retrovírus e Infecções Oportunistas (CROI 2021).

Os resultados primários de eficácia e segurança e os objetivos secundários adicionais serão, portanto, apresentados em uma próxima reunião médica.

O estudo multicêntrico de Fase II nos EUA envolveu 202 adultos não hospitalizados.

Esses não apresentaram sinais ou sintomas de Covid-19 em 7 dias e confirmaram a infecção ativa de SARS-CoV-2.

O objetivo primário de eficácia foi a redução do tempo até a negatividade viral medida pela análise da reação em cadeia da polimerase da transcriptase reversa (RT-PCR) de swabs nasofaríngeos.

Amostras periódicas foram coletadas para análise virológica.

Dos 182 participantes com material nasofaríngeo avaliável, 42% (78/182) mostraram níveis detectáveis ​​de vírus em cultura no início do estudo.

Resultados aguardados

Os resultados completos do estudo serão compartilhados posteriormente, assim que estiverem disponíveis.

Outros estudos de Fase 2 e Fase 2/3 estão em andamento.

A apresentação descreveu também os resultados do desfecho secundário de redução no tempo (dias) à negatividade do isolamento do vírus de participantes com infecção sintomática por SARS-CoV-2.

Conforme determinado, então, pelo isolamento em cultura de linhagem celular vero.

No dia 5, houve uma redução (p nominal = 0,001, não controlado para multiplicidade) na cultura viral positiva em indivíduos que receberam molnupiravir (todas as doses) em comparação com o placebo: 0% (0/47) para molnupiravir e 24% (6 / 25) para o placebo.

A saber, dos 202 participantes tratados, nenhum sinal de segurança foi identificado e dos 4 eventos adversos graves relatados.

No entanto, nenhum foi considerado relacionado ao medicamento do estudo.

 Segurança

Além dos estudos clínicos em andamento, a MSD conduziu um programa não-clínico abrangente para caracterizar o perfil de segurança do molnupiravir.

Este programa incluiu ensaios como o ‘Big Blue’ e’ PIG-a’, projetados para fornecer uma medida robusta da capacidade de um medicamento ou produto químico de induzir mutações in vivo.

Os animais receberam molnupiravir por mais tempo e em doses mais altas (mg / kg) do que as utilizadas em estudos humanos.

A totalidade dos dados desses estudos indica que o molnupiravir não é mutagênico ou genotóxico em sistemas de mamíferos in vivo.

Confira a nota oficial da MSD sobre o uso da ivermectina para a Covid-19 

Fonte: MSD

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário