Mundo ultrapassa marca de 2 milhões de mortos por Covid-19

O primeiro milhão de vítimas foi atingido em 29 de setembro de 2020, cerca de 274 dias depois dos primeiros casos terem sido reportados na China. Este segundo milhão foi atingido em menos da metade do tempo: 108 dias

O mundo ultrapassou nesta sexta-feira (15), os 2 milhões de mortes por Covid-19, de acordo com a contagem da Universidade Johns Hopkins.

Ainda de acordo com o  levantamento, 2.000.905 pessoas morreram por causa do vírus SARS-CoV-2 em mais de 93,4 milhões de casos. A taxa de letalidade da doença atual é de 2,1%.

A nova marca é atingida em um momento em que vacinas estão sendo desenvolvidas a uma velocidade atípica e lançadas em todo o mundo em uma grande campanha para tentar vencer a ameaça.

Número de mortes no mundo por Covid-19

primeiro milhão de vítimas do coronavírus foi atingido em 29 de setembro, mais de nove meses depois (274 dias) de os primeiros casos terem sido reportados em Wuhan, na China.

Este segundo milhão foi atingido em menos da metade do tempo: 108 dias.

Países em luto   

Os países com mais mortes contabilizadas são Estados Unidos (389.581 mortes em 23,4 milhões de casos); Brasil (207.095 mortes em 8,3 milhões de casos); Índia (151.918 mortes em 10,5 milhões de casos); México (137.916 mortes em 1,6 milhões de casos); e Reino Unido (87.448 mortes em 3,3 milhões de casos).

O número de mortos compilados pela universidade é quase igual ao da população de Bruxelas, Meca, Minsk ou Viena. É aproximadamente equivalente à população da área metropolitana de Cleveland ou de todo o Estado de Nebraska.

Embora a contagem seja baseada em números fornecidos por agências governamentais em todo o mundo, acredita-se que a soma real seja significativamente maior, em parte por causa de testes inadequados e a muitas mortes que foram atribuídas imprecisamente a outras causas, especialmente no início do surto.

Imunização falha

Em países ricos, incluindo Estados Unidos, Reino Unido, Israel, Canadá e Alemanha, milhões de cidadãos já receberam alguma medida de proteção com pelo menos uma dose de vacina desenvolvida com uma revolucionária velocidade e rapidamente autorizada para uso.

Mas em outros lugares, por exemplo, as iniciativas de imunização mal saíram do papel.

Muitos especialistas estão prevendo mais um ano de perdas e dificuldades em lugares como Irã, Índia, México e Brasil, que juntos respondem por cerca de um quarto das mortes do mundo. 

Fonte: Estadão

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário