fbpx

Nova GSK Consumer Healthcare inicia operações no Brasil

Resultado da fusão entre GSK e Pfizer, joint venture assume liderança local no segmento de produtos de venda livre de prescrição médica. Perspectiva de faturamento chega a R$ 1 bilhão

A GSK Consumer Healthcare e a Pfizer Consumer Healthcare concluíram, na última semana, as transações para iniciar no Brasil as atividades da joint venture GSK Consumer Healthcare. A fusão amplia o portfólio da GSK no mercado brasileiro com a aquisição das marcas Centrum, Advil, Stresstab e Caltrate. A perspectiva de faturamento no Brasil está estimada em torno de R$ 1 bilhão.

Como resultado da integração, importantes marcas das duas empresas, como Sensodyne, CataflamPro, Corega, ENO, Advil, Centrum e Caltrate passam a fazer parte do mesmo portfólio. Além disso, a fusão vai permitir ganhos de eficiência na produção e comercialização, além da expansão nos investimentos, nos segmentos de Saúde Oral, Bem Estar e Alívio da Dor.

“Demos mais um importante passo rumo à jornada para criar uma empresa de Consumer Healthcare mais inovadora, confiável e com o melhor desempenho. Juntos, estamos criando uma nova organização, líder mundial no segmento de cuidados com a saúde. Desse modo, focada em ajudar as pessoas a fazerem mais, sentirem-se melhor e viverem mais”, afirma a presidente da GSK Consumer Healthcare Brasil, Andrea Rolim.

A executiva, que há três anos lidera a unidade de Cuidados com a Saúde na GSK Brasil, conta no currículo com mais de 20 anos de experiência em cargos de liderança em companhias de Consumo, Varejo e Saúde. “A fusão nos dá maior escala, com ampliação de nosso portfólio e oportunidade de atuação em novas categorias”, acrescenta Andrea.

GSK Consumer Healthcare

A GSK Consumer Healthcare Brasil terá sede no Rio de Janeiro. Assim, confirmando os compromissos da companhia com o desenvolvimento da economia do Estado. A joint venture utilizará a estrutura já existente da marca, que conta com duas unidades: o Centro de Distribuição em Duque de Caxias (o CDDC) e a fábrica em Jacarepaguá, que ganhou um novo status com a criação da joint venture.

A unidade acaba de se transformar no “Centro de Excelência Fabril de Saúde Oral” da América Latina. Ali, a GSK planeja rever o portfólio de Cremes Dentais, apostando em inovações, como, por exemplo, o uso de fórmulas “não-aquosas” para a linha Sensodyne e a automação da fabricação, com a adoção de empacotadoras e robôs de paletização. A modernização levará ao aumento no rendimento das linhas de produção em 54%, proporcionando alta de 112% na produtividade.

A estratégia ao longo dos próximos anos é reunir numa mesma planta, a de Jacarepaguá, a produção de Cremes Dentais de toda a América Latina. “Construiremos uma cadeia de suprimentos mais enxuta, gerando níveis mais altos de serviços, reduzindo custos e liberando recursos para investimentos”, afirma Andrea.

O anúncio da fusão entre GSK e Pfizer foi feito em dezembro de 2018. Globalmente, a joint venture passou a vigorar em 1º de agosto, mas alguns mercados, como o Brasil, estão sendo integrados à nova empresa aos poucos. Por aqui, a aprovação pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aconteceu em junho deste ano. Porém, as questões operacionais da transação entre as empresas só foram concluídas agora, no início de novembro. Globalmente, a integração completa das duas companhias deve acontecer até 2021.

Foto: Shutterstock
Fonte: GSK

Deixe um comentário