fbpx

Novartis anuncia medicamento para tratamento preventivo da enxaqueca

Fármaco biológico consegue bloquear o ciclo da doença e impedir crises

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), órgão de regulação de saúde do Brasil, aprovou o primeiro tratamento preventivo específico para enxaqueca no País. Trata-se do medicamento biológico erenumabe, comercialmente registrado como PasurtaÔ. Ele será comercializado pela Novartis no Brasil e a previsão é que a população poderá adquiri-lo ainda no primeiro semestre de 2019.

Erenumabe é o primeiro anticorpo monoclonal totalmente humano desenvolvido especificamente para bloquear os receptores do peptídeo relacionado com os genes de calcitonina (CGRP), responsável por desencadear crises de enxaqueca. Os níveis de CGRP sobem durante as crises e se normalizam quando elas acabam. Em estudo internacional, a eficácia do erenumabe na prevenção da doença foi demonstrada e a segurança é comparável ao uso de placebo. O medicamento já conta com aprovação nos Estados Unidos e Europa.

Entenda as causas da enxaqueca

A enxaqueca é uma doença neurológica e a terceira enfermidade mais prevalente no mundo. Muito mais que uma dor de cabeça, ela incapacita a pessoa com náuseas, vômitos, sensibilidade à luz, som e odores, além das cefaleias recorrentes e pulsantes, típicas da enfermidade. A causa e os gatilhos da enxaqueca neurológica não são totalmente compreendidos e podem variar entre os acometidos. No entanto, o peptídeo relacionado com os genes de calcitonina (CGRP) tem sido colocado em um papel importante no ciclo da enxaqueca.

Em pesquisa internacional que envolveu 11 mil pessoas no mundo, de 31 países diferentes, incluindo o Brasil, os pacientes relataram que a enxaqueca diminuiu pela metade a produtividade no trabalho (53% de redução). O estudo também mostrou que 60% dos trabalhadores que têm enxaqueca grave perdem, em média, uma semana de trabalho por mês. E, apesar da maioria dos empregadores terem conhecimento sobre a doença do colaborador (63%), apenas 18% tinha apoio no trabalho.

Fonte: Guia da Farmácia

Foto: Shutterstock

Anvisa aprova novo tratamento oral para câncer de mama avançado

Deixe um comentário