fbpx

Novo tratamento oral para artrite reumatoide chega ao Brasil

Medicamento é lançado pela farmacêutica Eli Lilly

A farmacêutica Eli Lilly acaba de lançar no mercado brasileiro o Olumiant® (baricitinibe), medicamento oral indicado em monoterapia ou em combinação com metotrexato (MTX) para o tratamento de pacientes adultos com artrite reumatoide ativa moderada a grave, com resposta inadequada ou intolerância a um ou mais antirreumáticos modificadores da doença (DMARDs não biológicos e biológicos).

Olumiant é uma nova opção de tratamento que mostrou superioridade significativa em diversas medidas de eficácia em relação ao adalimumabe e metrotrexato, considerados padrões de tratamento, mostrando melhoria já na primeira semana de tratamento e com um perfil de segurança satisfatório com dados publicados de 5,5 anos de estudo.

Veja Mais

Mais de 3500 pacientes participaram de estudos clínicos com Olumiant no mundo todo. Os resultados demonstraram evolução significativa no combate à inflamação das articulações, retardo na progressão da doença e melhora rápida nos sintomas clássicos da artrite reumatoide, como dor articular, fadiga e rigidez matinal. “Apesar dos avanços no tratamento da artrite reumatoide, muitos pacientes ainda sofrem com os efeitos debilitantes da doença, que podem causar danos nas juntas e incapacidade”, diz a gerente médica de imunologia da Lilly, Marcela Caselato. “Acreditamos que como uma terapia de última geração, Olumiant vai ajudar os pacientes brasileiros com artrite reumatoide a se sentirem melhor mais rapidamente”.

O programa de desenvolvimento clínico de fase 3 de Olumiant possui quatro estudos completos com uma ampla variedade de pacientes adultos com artrite reumatoide, desde aqueles que nunca foram tratados até os que já receberam outros tipos de medicamentos previamente.

Entenda a artrite reumatoide

De acordo com a Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR), a artrite reumatoide é uma doença inflamatória crônica que pode afetar várias articulações e impacta cerca de 1% da população. A causa é desconhecida e acomete as mulheres duas vezes mais do que os homens. Inicia-se, geralmente, entre 30 e 40 anos e sua incidência aumenta com a idade. Os sintomas mais comuns são dor, edema, calor e vermelhidão em qualquer articulação do corpo, sobretudo mãos e punhos. As articulações inflamadas provocam rigidez matinal, fadiga e com a progressão da doença, há destruição da cartilagem articular e os pacientes podem desenvolver deformidades e incapacidade para realização de suas atividades tanto de vida diária como profissional. É uma doença autoimune, ou seja, uma condição em que o sistema imunológico, que normalmente defende o corpo de infecções (vírus e bactérias), passa a atacar o próprio organismo (no caso, o tecido que envolve as articulações, conhecido como sinóvia).

Fonte: Guia da Farmácia

Foto: Shutterstock

Dia Mundial do Combate à Asma: doença mata 2 mil brasileiros por ano

Deixe um comentário