O primeiro remédio eficaz conta o Alzheimer entrará em análise pela FDA

A Biogen apresentou evidências persuasivas de que o primeiro remédio para tratar o Alzhei­mer, o aducanumabe é eficaz, o que aumenta as possibilidades de uma aprovação rápida pela FDA

Depois de décadas sem novidades sobre medicamentos para o Alzhei­mer, há uma mudança em movimento. O primeiro remédio capaz de retardar o Alzhei­mer, poderá ser aprovado pela FDA, a agência reguladora americana.

Fabricado pela empresa de biotecnologia americana Biogen, em parceria com a japonesa Eisai, o aducanumabe mostrou conseguir ser capaz de reduzir o declínio neurológico, melhorando em especial a memória, o sentido de orientação e a linguagem dos voluntários.

Além disso, também houve benefícios nas atividades diárias, incluindo administração de finanças pessoais, realização de tarefas domésticas como limpar, fazer compras e lavar roupa.

Primeiro remédio para tratar o Alzhei­mer pode ser aprovado ano que vem pela FDA

A terapia consiste em uma infusão mensal e foi desenhada para pacientes nos estágios iniciais de Alzhei­mer. A conclusão da análise do órgão regulatório está prevista para o início de 2021.

Um relatório publicado recentemente pela FDA concluiu, portanto, que a Biogen mostrou evidências “excepcionalmente persuasivas” de que seu medicamento experimental é eficaz, o que aumenta as possibilidades de uma aprovação rápida.

Um painel de especialistas, contudo, chegou a recomendar que a FDA não aprovasse o medicamento, por falta de estudos que comprovem sua eficácia. A possibilidade de negativa deflagrou rápida reação de grupos de pacientes que temem atrasos.

Esperança 

Todavia, o novo remédio pertence a uma das novas e promissoras classes de substância, chamada de anticorpo monoclonal, que imita o funcionamento das células de defesa do organismo humano.

Contudo, esse tipo de droga já é usada com enorme sucesso para câncer e está sendo testada com grande expectativa também em casos de Covid-19.

Vale para o Alzheimer o que é imperativo em outros acometimentos: o investimento em métodos de diagnóstico precoce.

Um dos exames mais impressionantes, desenvolvido pela Universidade Washington, nos Estados Unidos, poderá medir alterações na proteína beta-amiloide ao menos uma década antes dos primeiros estragos perceptíveis, por meio de um exame de sangue.

EMS lança ferramenta para auxiliar no tratamento do Alzheimer 

Casos de doença de Alzheimer podem quadruplicar no País 

Fonte: Veja

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário