OMS aprova uso emergencial da CoronaVac

Recomendação de uso é para adultos de 18 anos ou mais, em um esquema de duas doses com um espaçamento de 2 a 4 semanas

A Organização Mundial de Saúde (OMS) aprovou, nesta terça-feira (1º), o uso emergencial da CoronaVac, vacina contra a Covid-19 desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac.

A vacina é a sexta a receber essa aprovação pela entidade e é uma das três que estão sendo usadas no Brasil.

Dessa maneira, a entidade afirmou que a vacina “atende aos padrões internacionais de segurança, eficácia e de fabricação“.

E que, dessa maneira, “seus requisitos de armazenamento fáceis a tornam muito gerenciável e particularmente, então, adequada para cenários de poucos recursos”.

A CoronaVac pode ser armazenada em temperatura normal de refrigeração (2ºC a 8ºC), que é a usada na cadeia de frio do Brasil.

Assim como a vacina da Sinopharm, também aprovada para uso emergencial pela OMS, a CoronaVac é, então, uma vacina inativada.

“Hoje, eu fico feliz em anunciar que a vacina da Sinovac recebeu a autorização para uso emergencial da OMS após a constatação de que ela é segura, eficaz e de qualidade garantida após duas doses”, disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreysus, nesta terça-feira (1º).

Resultados

A OMS considerou dados de eficácia da vacina que mostraram que ela preveniu casos sintomáticos de Covid-19 em 51% dos vacinados e casos graves da doença em 100% da população estudada.

Certamente, essas taxas correspondem às divulgadas pelo Instituto Butantan em janeiro.

Dados posteriores, entretanto, apontaram que a vacina tinha uma efetividade menor.

efetividade refere-se à capacidade da vacina, no “mundo real“, de diminuir os casos de uma doença.

Já a eficácia refere-se aos dados dentro de ensaios clínicos.

Ao aprovar o uso emergencial da CoronaVac, a OMS considerou que poucos participantes com mais de 60 anos haviam sido incluídos nos ensaios clínicos.

E, por isso, a eficácia não pôde ser estimada para este grupo.

A organização considerou que “não há razão para acreditar que a vacina tenha um perfil de segurança diferente em populações mais velhas e mais jovens“.

E reforçou que os países devem usar a vacina “em grupos de idade avançada” e realizar monitoramento de segurança e eficácia,.

Para verificar, então, “o impacto esperado e contribuir para tornar a recomendação mais robusta para todos os países”.

Sexta aprovação

A saber, a CoronaVac é a sexta vacina a receber aprovação de uso emergencial pela OMS.

As outras foram a da Pfizer, a de Oxford/AstraZeneca (inclusive as versões produzidas na União Europeia e pelo Instituto Serum, na Índia), a da Johnson, a da Moderna e também a da Sinopharm.

Além da CoronaVac, também são usadas no Brasil a vacina de Oxford e a da Pfizer.

Pesquisa em Serrana comprova efetividade da Coronavac entre idosos, diz Butantan

Fonte: G1

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário