Pague Menos planeja volta às compras em meio à ‘digestão’ da Extrafarma

A rede de farmácias acaba de criar uma diretoria de fusões e aquisições cujo foco está em compras menores e estratégicas na área de serviços de saúde e startups

A Pague Menos deve ir às compras novamente, mas os alvos são diferentes do passado. Em maio de 2021, a empresa adquiriu a Extrafarma por R$ 700 milhões e, se tudo seguir como previsto, terá cerca de 400 novas lojas nos próximos meses.

A rede de farmácias acaba de criar uma diretoria de fusões e aquisições cujo foco está em compras menores e estratégicas na área de serviços de saúde e startups.

O grupo não revela quanto quer gastar ao todo, mas deixa claro que os cheques serão mais baixos do que o desembolsado na compra da Extrafarma.

De acordo com dados do primeiro trimestre, a empresa tem cerca de R$ 400 milhões em caixa.

Com a incorporação da Extrafarma, a Pague Menos tem foco em empresas que ofereçam serviços de saúde

O diretor financeiro da Pague Menos, Luiz Novais, diz que a companhia avalia empresas que tragam mais serviços de saúde que possam ser usados nas clínicas que a rede tem dentro das farmácias.

Dessa maneira, então, há várias opções sobre a mesa: investimentos minoritários, majoritários ou parcerias estratégicas.

Alguns exemplos desses serviços são soluções ligadas à telemedicina, testes laboratoriais ou acompanhamento nutricional e de doenças crônicas.

A lógica é que ao oferecê-los, a empresa aumente o fluxo de clientes, o que consequentemente faz as vendas subirem.

Nas contas da Pague Menos, que já oferece cerca de 50 serviços de saúde, 67% dos clientes que usam algum serviço da clínica também compram algo na rede no mesmo dia da consulta.

Novais afirma que é uma relação ganha-ganha, em que o consumidor tem mais acesso à saúde e a empresa aumenta suas receitas.

A companhia atende as classes B-, C e D, que têm menos renda disponível para serviços médicos tradicionais.

Rede admite ‘movimentos maiores”

A estratégia de aquisições da Pague Menos vem a calhar com o momento do mercado. Novais afirma que, agora, há mais racionalidade no valor das empresas de tecnologia, as startups.

Para ele, como os investidores passaram a entender que a lucratividade desses negócios é um ponto a ser observado, o ambiente está mais favorável aos compradores e há empresas sendo oferecidas a preços mais justos.

“Até temos vontade de fazer outros movimentos maiores, mas isso vai levar um ano e meio, mais ou menos, até incorporarmos a Extrafarma”, diz Novais.

Há pouco mais de duas semanas, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) recomendou a aprovação da compra, com a condição de que a  Pague Menos venda menos de 3% da rede adquirida.

Portanto agora, a companhia aguarda a aprovação final da compra e uma grande digestão a realizar.

Mais para frente, a Pague Menos não descarta uma oferta subsequente de ações (follow on) para se capitalizar para compras mais vultosas.

Ex-Hapvida vai comandar nova diretoria

Já para o sócio da consultoria especializada em varejo Mixxer, Eugênio Foganholo, a estratégia da rede de farmácias de partir para pequenas aquisições que ajudem a empresa a compor, então, um ecossistema mais completo de soluções em saúde “faz todo o sentido”.

Ele lembra, porém, que essa visão de vender saúde além de remédios não é nova e que já tem sido desenvolvida pela concorrente Raia Drogasil (RD). “Não é novidade, mas aumenta as chances competitivas”, considera.

Para ele, aquisições aceleram o processo de composição de ecossistema que outras empresas optam, portanto, por fazer de forma orgânica.

Para comandar a nova diretoria de fusões e aquisições, a Pague Menos chamou o executivo Rodrigo Pirajá, que recentemente atuou como diretor de fusões e aquisições (M&A) na São Carlos S.A., e antes como gerente executivo na equipe de M&A da Hapvida, além de ter ocupado o cargo de analista sênior na Rio Bravo Investimentos.

A rede também criou uma vice-presidência de Customer Experience (Experiência do Cliente), sob o comando de Renato Camargo, executivo com 20 anos de experiência e passagem por diversas empresas varejistas e startups. Ele cuidará de quatro diretorias: Serviços Farmacêuticos, Digital, CRM e Marketing.

Fonte: Estadão

Foto: Pague Menos

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário