Pague Menos vê ambiente de negócios semelhante a 2020

A empresa divulgou os dados do quarto trimestre de 2020, com lucro líquido de R$ 37,5 milhões, mais que o dobro do montante de R$ 15 milhões no ano anterior

Para a rede de farmácias Pague Menos o ambiente de negócios neste começo de 2021 no setor continua parecido com o do ano passado, quando a receita líquida da empresa somou R$ 6,85 bilhões, alta de 6,8%.

A empresa divulgou na última segunda-feira (1º) os dados do quarto trimestre de 2020, com lucro líquido de R$ 37,5 milhões, mais que o dobro do montante de R$ 15 milhões no ano anterior.

O vice-presidente financeiro, Luiz Novais, afirmou que a empresa deve “entregar neste ano as premissas de expansão mencionadas nos roadshows” com investidores, em 2020.

E que o grupo planeja retomar um ritmo mais acelerado de novas aberturas.

Mas a companhia preferiu não mencionar projeções de aberturas de farmácias em 2021. A rede tem 1.105 pontos.

O vice-presidente de operações, Rafael Vasquez, mencionou que a empresa tem 60 pontos aprovados para abertura, sem citar data prevista para inaugurações, que dependem de questões burocráticas.

Cerca de 85% desses pontos estão no Norte e Nordeste, foco da expansão do grupo no curto prazo.

Nessas duas regiões, a empresa perdeu participação de mercado em 2020 e no quarto trimestre, e a companhia foi questionada sobre isso por analista hoje.

A participação da rede nas vendas nas duas regiões em 2020 caiu de 11,1% para 9,9% e, no trimestre, de 20,5% para 19,3%.
“Tivemos fechamento de lojas que afetaram o ‘share’”, afirmou Novais.

Produtos estocados

Sobre estoques e margem bruta, a companhia voltou a mencionar o processo de redução de produtos estocados, e que uma melhora nesse indicador teve impacto positivo na sua margem bruta no trimestre.

Mesmo assim, a margem bruta da rede caiu no período de 31,5% de outubro a dezembro de 2019 para 29,4% um ano depois.

O recuo de margem na comparação é decorrência, principalmente, de mudança no mix de vendas e o ajuste a valor presente (efeito não-caixa).

No fim de 2019, a empresa teve perdas de R$ 23 milhões nos estoques em decorrência da incineração de produtos com data de validade expirada, com efeito sobre rentabilidade.

Já na comparação com o terceiro trimestre, a margem subiu, passando de 28,6% para 29,4%. Esse incremento deve-se, por exemplo, à mudanças na forma de definir preços e melhoria no indicador de perdas com estoques.

Canais digitais

Sobre o digital, a empresa disse que as vendas no on-line atingiram recorde de R$ 102 milhões no quarto trimestre.

No período, as vendas dos canais digitais cresceram 159%, representando 5,2% da venda total, alta de 2,9 pontos em relação ao mesmo período de 2019.

A rede ainda informou que continua a registar menos atendimentos, por causa da pandemia, que leva consumidores a saírem menos de suas casas, mas com tíquete médio maior.

Rede Pague Menos lucra R$ 96 milhões em 2020 

 

Fonte: Valor Econômico

Foto: Pague Menos

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário