fbpx

Meloxicam pode ser tomado junto com o nimesulida?

Analisando-se as informações descritas, a seguir, em bula do medicamento de referência contendo meloxicam e, também, do medicamento de referência contendo nimesulida, não é aconselhável o uso concomitante de meloxicam e nimesulida.

  1. a) Fármaco: meloxicam

O fármaco meloxicam é indicado para o tratamento dos sintomas da artrite reumatoide e osteoartrite aliviando a dor e a inflamação. Age inibindo preferencialmente o funcionamento da enzima responsável pela inflamação COX-2, e da COX-1 em menor extensão. O meloxicam não deve ser usado se a pessoa tiver úlcera ou perfuração gastrintestinal ativa ou recente; doença inflamatória intestinal ativa (doença de Chron ou colite ulcerativa); sangramento gastrintestinal ativo; sangramento cerebrovascular recente ou distúrbios de sangramento sistema estabelecidos; mau funcionamento grave do fígado e dos rins; mau funcionamento grave e não controlado do coração. O meloxicam pode apresentar interação com medicamentos que atuam nas prostaglandinas (como corticoides e ácido acetilsalicílico) e aumentar o risco de úlceras e sangramentos gastrintestinais. O meloxicam não deve ser usado juntamente com outros anti-inflamatórios (como ácido acetilsalicílico, diclofenaco de sódio, nimesulida). Idosos precisam de cuidado especial, pois as funções dos rins, do fígado e do coração podem estar alteradas.

  1. b) Fármaco: nimesulida

O fármaco nimesulida é destinado ao tratamento de uma variedade de condições que requeiram atividade anti-inflamatória, analgésica e antipirética. Sua ação envolve vários mecanismos e inibe a enzima cicloxigenase que está relacionada à produção da prostaglandina (essa inibição faz com que a dor e a inflamação diminuam). O uso de outros anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) durante o tratamento com nimesulida não é recomendado. Durante o tratamento com nimesulida os pacientes devem evitar o usar os anti-inflamatórios não esteroides, pois há risco de somação de efeitos, inclusive efeitos adversos.

– Informação adicional:

Também, consultando base científica de dados Micromedex® (Truven Health Analytics. MICROMEDEX®Solutions, Greenwood Village, Colorado, USA) está descrito que paciente utilizando fármacos anti-inflamatórios não esteroides pode resultar em falso positivo o teste de hemocultura fecal devido a sangramento gastrintestinal induzido pelos anti-inflamatórios não esteroides.

Os AINEs são divididos em várias classes químicas e essa diversidade é responsável por uma ampla variedade de características farmacocinéticas. Os AINEs são, em sua maioria, altamente metabolizados, alguns pelos mecanismos de fase I, seguida de fase II, e outros por glicuronidação direta (fase II) apenas. O metabolismo ocorre, em grade parte, pelas famílias CYP3A ou CYP2Cdas enzimas P450 do fígado.

Em razão das informações levantadas e descritas acima não é aconselhável a utilização de nimesulida e meloxicam concomitantemente. Saliente-se ainda que os medicamentos anti-inflamatórios citados apresentem tarja vermelha indicando “venda sobre prescrição médica” considerando que o prescritor deverá avaliar as condições clínicas do paciente, bem como, analisar se há administração de outros medicamentos concomitantemente (por exemplo, medicamentos de uso crônico) para a segurança do paciente.

Os fármacos nimesulida e meloxicam apresentam várias interações com outros fármacos além de inúmeras contraindicações razão pela qual a sua utilização deverá ocorrer somente ser após consulta e indicação do prescritor.

Essa pergunta foi realizada através do Guia da Farmácia Responde!
Envie também seus questionamentos e dúvidas para serem respondidos por consultores especializados e publicados aqui no portal Guia da Farmácia.

Ver dúvidasEnviar dúvida

Sobre o colunista

Maria Aparecida Nicoletti

Farmacêutica responsável pela Farmácia Universitária da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USP).

Deixe um comentário