fbpx

Por que a dose da “madrugada” do aciclovir via oral é excluída?

Antes de falarmos especificamente sobre a dose da madrugada do Aciclovir, vamos dar algumas informações sobre esse fármaco. Ele é indicado para tratamento de Herpes zoster; tratamento e recorrência (reaparecimento) das infecções de pele e mucosas causadas pelo vírus Herpes simplex. Igualmente, age na prevenção de infecções recorrentes causadas pelo vírus Herpes simplex (supressão). Além disso, o Aciclovir é indicado para pacientes seriamente imunocomprometidos.

O aciclovir é um fármaco antiviral muito ativo contra o vírus do Herpes simplex (HSV), tipos 1 e 2, vírus da Varicela zoster (VVZ), vírus Esptein Barr (VEB) e Citomegalovírus (CMV). Isto porque esse medicamento atua bloqueando os mecanismos de multiplicação desses vírus. Entretanto, torna-se necessário salientar que a ação antiviral não poderá ser utilizada para qualquer vírus.

A forma farmacêutica de comprimido está disponibilizada com o fármaco para uso adulto. Quando pediátrico, somente a partir de dois anos de idade.

Posologia: a dose noturna do Aciclovir

A posologia estabelece a quantidade a ser administrada em função do problema verificado. Ela indica que a unidade do medicamento deverá ser administrada cinco vezes ao dia. O idea intervalos aproximados de quatro horas, pulando a dose noturna. A suspensão da dose noturna não está relacionada a uma justificativa farmacológica, mas, sim, ao conforto do paciente. Assim, não precisará acordar no meio da noite para tomar dose da madrugada do aciclovir. No entanto, o aspecto de maior importância é o cumprimento da administração de cinco vezes ao dia, por cinco dias, se não for infecção inicial grave.

Segundo descrito na bula do medicamento: “Um comprimido de aciclovir 200 mg, cinco vezes ao dia, com intervalos de aproximadamente quatro horas, pulando a dose noturna. O tratamento precisa ser mantido por cinco dias, e deve ser estendido em infecções iniciais graves”.

Considerando, então, que o paciente inicie a primeira administração às 8h00 (das cinco indicadas diariamente) e de acordo com a orientação descrita em bula (intervalo de, aproximadamente, quatro horas), entende-se que os próximos horários previstos para a administração seriam: 12h00, 16h00, 20h00 e meia-noite. Portanto, o que a indicação “pulando a dose noturna” quer dizer é que, apesar do intervalo que ocorre entre meia-noite (última administração) e 8h00 (primeira administração do dia seguinte), há um intervalo de oito horas que são destinadas para o período do sono do usuário.

Aciclovir corta os efeitos das vacinas de febre amarela e gripe?

Essa pergunta foi realizada através do Guia da Farmácia Responde!
Envie também seus questionamentos e dúvidas para serem respondidos por consultores especializados e publicados aqui no portal Guia da Farmácia.

Ver dúvidasEnviar dúvida

Sobre o colunista

Maria Aparecida Nicoletti

Farmacêutica responsável pela Farmácia Universitária da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Universidade de São Paulo (USP).



4 Comentários

  1. Avatar
    Gustavo Ibraim Ceron em

    Tenho herpes zoster. Durante 10 dias tomei Herpstal 500, dois comprimidos (1000 mg) trs vezes ao dia ( 8, 16 e 24 horas). A média considerou encerrado o tratamento, entretanto a manifestação cutânea apenas deixou de ser vermelha e passou para marrom. Acontece que 7 dias depois uma parte da manifestação voltou a ficar vermelha. Tenho 88 anos. Que devo fazer? Minha doença, nas costas, não produzia nenum sintoma, tanto assim que eu desconhecia os sinais vermelhos. Minha cardiologista, ao examinar-me é que descobriu o problema e recomendou consultar a dermatologista. Que devo fazer? Irei a óbito com isso? Obrigado. Gustavo

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: