Pós-NRF: Especialistas preveem farmácias em 2025 e outros insights do varejo

Tendências foram apontadas no evento Retail Trends Pós NRF, desenvolvido pelos especialistas do Grupo GS&

Grupo GS& promoveu ontem (07), no Expo Center Norte, em São Paulo, um evento Pós-NRF para apontar os principais insights e conceitos apresentados durante a NRF Retail’s Big Show.

Entre as tendências apontadas no encontro foi a transformação do Ponto de Venda (PDV) em algo que tem sido definido como PDX, que incorpora novas funções e atividades, para além da venda de produtos, se transformando num ponto de experiências, educação, informação, relacionamento, alimentação, orientação, serviços, entretenimento, lazer e… até compras. Assim, o que era um totem que permitia compra no site se transforma numa completa experiência com reconhecimento facial e identificação de consumidores já cadastrados. E não pode ser diferente. A reinvenção da loja é fator crítico num cenário onde a hiperconveniência tende a crescer de forma explosiva favorecendo os canais digitais.

O evento Pós-NRF também destacou que, a velocidade e inovação se tornam desatualizados muito rapidamente pela transformação radical global que não poupa empresas e negócios que não têm no seu DNA e cultura a autotransformação permanente como mantra. A necessidade de buscar novos significados e modelos de negócio é o desafio recorrente para todas as organizações, especialmente as que atuam no consumo, pela crescente, irreversível e constante mutação dos omniconsumidores.

A importância dos dados também foi reforçada no Pós-NRF. Os consultores comentaram que primeiro foram os dados, depois as informações tratadas, depois seu uso em caráter analítico, depois seu uso em caráter preditivo e mais recentemente a possibilidade de uso para antecipar demandas não verbalizadas ou ainda reconhecidas. Em todo o processo migrou-se gradativamente do uso da inteligência humana para, agora, o uso cada vez mais disseminado da inteligência artificial.

Farmácia e Saúde: tendências para 2025 apontadas no Pós-NRF

1. Consolidação do mercado

As redes e associações devem representar 1/3 do mercado, reduzindo-se o número de farmácias independentes.

2. Serviços

As farmácias devem se transformar em centros de serviços de saúde – com clínicas, exames laboratoriais, ópticos e de beleza.

3. Legislação mais flexível

Prevê-se a oferta de novos segmentos de produtos (como alimentos) e lojas de comportando como centros de conveniência.

4. Marcas próprias

Categorias foco desempenharão um papel estratégico, representando de 5% a 10% dos negócios

5. Concorrência

Laboratórios farmacêuticos devem ir direto ao consumidor, acirrando a competitividade.

Fonte: Guia da Farmácia

Foto: Guia da Farmácia

Pós-NRF: insights do Ibevar sobre o principal evento de varejo do mundo

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário