fbpx

Profarma apresenta receita bruta de R$ 1,3 bilhão, com aumento de 13%

A Profarma divulgou os resultados do segundo trimestre de 2019 e a receita bruta consolidada do grupo atingiu R$ 1,3 bilhão, representando crescimento de 13% na comparação com igual trimestre do ano anterior

A Profarma divulgou os resultados do segundo trimestre de 2019 (2T19). Neste período, a receita bruta consolidada do Grupo Profarma atingiu R$ 1,3 bilhão. Isso representa crescimento de 13,0% na comparação com igual trimestre do ano anterior. Enquanto isso, o valor dos lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) foi de R$ 31,8 milhões, superior em 11,0% ao apresentado no 2T18. A Companhia também obteve melhoria em seu ciclo de caixa, apresentando redução de 1,5 dia frente ao ciclo observado de 2018.

A evolução operacional da Profarma fica mais evidente ao considerar a evolução do Ebitda acumulado nos 12 meses, encerrado em julho de 2019, com aquele registrado em igual período do ano anterior. Pois de junho/2018 a julho/2019, o Ebitda consolidado somou R$ 103,7 milhões, ante R$ 62,1 milhões nos 12 meses anteriores, com alta de 67,0% no período.

Veja Mais

Aliado ao melhor desempenho operacional, as despesas financeiras líquidas no 2T19 apresentaram redução de R$ 1,3 milhão em comparação com o 2T18. Assim, o lucro líquido no trimestre foi de R$ 2,3 milhões, resultado 53,3% superior ao lucro de R$ 1,5 milhão obtido no 2T18.

No final do 2T19, a dívida líquida consolidada ficou em R$ 448,5 milhões. Demonstrando assim o impacto dos investimentos em estoques adicionais, em função do reajuste anual de 4,3% nos preços de medicamentos autorizados pelo governo em março. Assim, o indicador dívida líquida/Ebitda ficou, ao final do 2T19, em 4,3 vezes, uma redução de 28,5%, comparado ao índice de alavancagem de 6,0 vezes registrado há um ano, no encerramento do 2T18.

Resultados surpreendentes

O vice-presidente de finanças e relações com investidores da Profarma, Max Fischer, destaca a evolução contínua dos resultados operacionais. “Essa é a primeira vez, depois de anos, que o fluxo de caixa de um segundo trimestre do exercício apresenta geração positiva de caixa a partir das atividades operacionais: R$ 21,8 milhões no trimestre. Comparado ao mesmo período do ano passado, o aumento do caixa gerado nas operações foi de R$ 51,3 milhões, uma vez que, no 2T18, as atividades operacionais levaram à aplicação de caixa de R$ 29,5 milhões”.

Receita bruta da distribuição farma e da divisão varejo da Profarma

A divisão registrou evolução de 19,1% na receita bruta, quando comparada com o 2T18. O incremento foi de 63,6% no Ebitda, atingindo R$ 23,4 milhões, com margem Ebitda de 2,2%. O ciclo de caixa apresentou redução de 1,5 dia no período, atingindo 28,9 dias, principalmente, em função da diminuição de 3,2 dias nos estoques. O menor ciclo de caixa representou redução de capital de giro da ordem de R$ 20 milhões.

O faturamento médio por loja foi de R$ 504 mil, com evolução de 5,4% em relação ao registrado no 2T18. O ticket médio foi de R$ 46,10, um crescimento de 9%, considerando a mesma base de comparação. O ganho de eficiência operacional se reflete no Ebitda de R$ 7,6 milhões do trimestre. Esse montante é 29,5% maior do que o registrado no 2T18, despeito da redução líquida de 16 lojas no decorrer dos últimos 12 meses. Dessa forma,  encerrando o 2T19 com 198 lojas. Além disso, a margem de contribuição atingiu 7,9%, 0,5 p.p. acima, na comparação com o mesmo período de 2018, e quase 2,0 p.p. superior à do primeiro trimestre do ano.

Foto: Shutterstock
Fonte: Grupo Profarma

Deixe um comentário