Qual o passo a passo para uma vacina ser aprovada?

Entenda os passos obrigatórios para que uma vacina possa ser comercializada e disponibilizada no Brasil. Anvisa esclarece todas as dúvidas

O desenvolvimento de uma vacina precisa atender a altos padrões de exigência de qualidade, segurança e eficácia.

Nesse momento de pandemia e, por isso mesmo, de enorme expectativa para que seja disponibilizada uma vacina contra a Covid-19, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) elaborou esta matéria de esclarecimento.

Por onde começa

Toda vacina precisa passar por vários estágios de desenvolvimento. 

O estágio inicial é restrito aos laboratórios, a partir da análise do agente causador da doença  neste caso, o novo coronavírus  e também de várias moléculas para definição da melhor composição do produto 

A vacina é posteriormente testada em animais, que são expostos ao agente causador da doença, para verificar a capacidade de induzir o animal a produzir anticorpos. 

De qualquer modo, para que sejam iniciados os estudos em humanos, é preciso ter em mãos dados preliminares de segurança e possível eficácia.  

Etapas de desenvolvimento 

(APesquisa básica e testes não clínicos 

Nessa etapa, a partir de testes em laboratório (chamados in vitro) e com animais, o objetivo é pesquisar a segurança da vacina e sua capacidade de gerar anticorpos. 

Alguns testes com animais também podem ser realizados em paralelo com a próxima etapa. 

(B) Estudos clínicos 

Esses estudos são realizados com seres humanos depois de obtidos dados e informações significativos na etapa anterior. 

O protocolo desses estudos clínicos precisa ser avaliado e aprovado pela Anvisa antes da sua execução. 

Fase 1 

Essa é a primeira etapa de testes em humanos para avaliar a segurança e possíveis reações indesejáveis no local da aplicação da vacina ou no organismo. 

Nessa fase também pode ser verificada, de forma preliminar, a imunogenicidade da vacina, ou seja, sua capacidade de gerar anticorpos contra o novo coronavírus.  

Fase 2 

Chegou a hora de avaliar a dose, a forma de vacinação e a capacidade de gerar anticorpos (contra o novo coronavírus) na população (faixa etária, por exemplo) que deverá ser indicada para receber a vacina

A segurança, então, continua em análise aqui.  

Fase 3 

Os testes nessa etapa são realizados em grandes populações para avaliar a segurança e a eficácia da vacina.

A vacina precisa provar que, de fato, é capaz de nos proteger da doença.  

Registro 

Agora, então, é a hora da Anvisa, órgão regulador federal, entrar em ação mais uma vez!

Profissionais especializados da Agência vão, então, revisar todos os documentos técnicos e regulatórios.

Além de verificar os dados de segurança e eficácia, bem como avaliar a qualidade da vacina.

O registro, concedido pela Anvisa, é o sinal verde para que a vacina seja comercializada e disponibilizada no País.  

Algumas observações 

Diante da situação de emergência internacional em saúde pública, os estudos clínicos em todo o mundo têm sido desenvolvidos de forma adaptativa.

Isso quer dizer que algumas das fases descritas podem ser desenvolvidas de forma simultânea para acelerar a obtenção dos resultados.  

Vale destacar outro fator importante no desenvolvimento das vacinas: o tempo de proteção.

Ou seja, mesmo que uma vacina seja declarada eficaz e venha a ser registrada e disponibilizada, os participantes vacinados precisam, todavia, ser acompanhados para definição do período de proteção contra o novo coronavírus.  

Foto: Shutterstock

Fonte: Anvisa

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário