RaiaDrogasil fortalece ações de inclusão em suas lojas

RaiaDrogasil é referência no acolhimento e inclusão de PcD's e criou um curso de Língua Brasileira de Sinais, frequentado por mais de 23 mil funcionários

A RaiaDrogasil (RD) se tornou referência no acolhimento e contratação de Pessoa com Deficiência (PcD’s) e atualmente possui em seu quadro mais de 2 mil funcionários com algum tipo de deficiência, sendo que mais de 1 mil deficientes intelectuais nas lojas.

RaiaDrogasil oferece curso de inclusão social

Na RD, o olhar para este tipo de cuidado vai muito além da seleção e passa, principalmente, pela capacitação e treinamentos para um atendimento mais humanizado, inclusivo e representativo, nas mais de 2 mil lojas da rede em todo País. 

Em 2020, como uma das principais iniciativas para a equidade nas oportunidades, a Universidade RD lançou um curso de Libras à distância, que já formou mais de 50% dos funcionários.

Mais de 23 mil pessoas participaram do curso criado a pedido dos próprios funcionários. O conteúdo está disponível na plataforma de capacitação da empresa.

A participação voluntária é fundamental não apenas para capacitar os funcionários para o atendimento aos clientes que se comunicam em Libras, mas, também, para garantir a interação entre os próprios funcionários.

Atualmente 14% dos funcionários da RD possuem algum tipo de deficiência auditiva.

Mais oportunidades

Recentemente, a RD também escalou para algumas unidades, profissionais deficientes auditivos ou de fala para o cargo de atendimento ou caixa.

É o caso da Polliany Vaz que possui deficiência auditiva e trabalha em uma das unidades da Drogasil em Goiânia.

Para facilitar a comunicação, todo o processo de finalização de compra é indicado por meio de placas nas bancadas, orientando os clientes sobre esta nova modalidade de atendimento.

RaiaDrogasil-inclusão-oportunidade

“Sou muito grata à Drogasil e toda a equipe da loja que acreditou em mim. Eu era assistente operacional e consegui ser promovida a atendente de caixa. Não foi fácil, mas eu me esforcei e com o apoio de todos da equipe consegui e estou operando o caixa. Me sinto muito bem e feliz. Minha meta é progredir”, declara a atendente de caixa, Polliany Vaz.

O varejo não está preparado para atender clientes com deficiência 

Fonte:  RaiaDrogasil

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário