Ranitidina: entenda o recolhimento voluntário

No Brasil, 24 diferentes empresas farmacêuticas possuem medicamentos registrados com o referido princípio ativo, em diferentes apresentações. Recolhimentos voluntários ocorrem em razão de orientação da Anvisa para maior controle das nitrosaminas

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) processou, até o momento, o recolhimento voluntário de 225 lotes de medicamentos à base de cloridrato de ranitidina. Esses recolhimentos ocorrem em razão do comunicado publicado pela Agência na última sexta-feira (17/1), que recomendou maior controle das nitrosaminas, substâncias potencialmente cancerígenas formadas durante a síntese de princípios ativos usados na fabricação de medicamentos.

Confira as novas recomendações da Anvisa sobre nitrosaminas.

Os recolhimentos voluntários são publicados no Diário Oficial da União (D.O.U.) e podem ser acompanhados no portal da Anvisa. A expectativa da Agência é que, dentro dos próximos dias, outros lotes de medicamentos com o princípio ativo cloridrato de ranitidina sigam o mesmo trâmite. No Brasil, 24 diferentes empresas farmacêuticas possuem medicamentos registrados com o referido princípio ativo, em diferentes apresentações.

Recolhimento da ranitidina

Qualquer ato de recolhimento de medicamento, seja voluntário ou não, é obrigado a cumprir as diretrizes da Resolução da Diretoria Colegiada da Anvisa 55/2005. Essa Resolução disciplina os prazos aplicáveis, a necessidade ou não de plano de comunicação em mídia, bem como o acompanhamento a ser realizado pela Agência. Para dar plena informação para a sociedade, a Anvisa publica os recolhimentos, mesmo quando voluntários, no D.O.U. e no seu portal.

Foto: Shutterstock
Fonte: Anvisa

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário