Medicamentos podem ficar mais caros a partir de 1º de junho

O prazo da MP que suspendeu o reajuste anual dos remédios por 60 dias em razão da pandemia de coronavírus termina neste domingo (31)

O preço dos medicamentos pode subir 4% a partir da segunda-feira, 1º de junho. O prazo de 60 dias determinado por Medida Provisória que suspendeu o aumento em 31 de março vence neste domingo (31). O tema está em discussão na CMED (Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos), órgão interministerial responsável pela regulação econômica do mercado.

O governo federal havia publicado a Medida Provisória (MP) 933/2020 suspendendo por 60 dias o reajuste anual de preços de medicamentos, em razão da pandemia do novo coronavírus. A MP ainda está em tramitação no Congresso Nacional.

O reajuste anual dos medicamentos é determinado pela CMED. O percentual de aumento é calculado por meio de uma fórmula, que leva em conta a variação da inflação (IPCA), ganhos de produtividade das fabricantes de medicamentos, bem como a variação dos custos dos insumos e características de mercado.

Em 2019, o IPCA acumulou alta de 4,31%. De acordo com o Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos (Sindusfarma), o reajuste será de 4,08% na média.

“O fim do congelamento de preços dos medicamentos, com a concessão do reajuste anual previsto em lei, é absolutamente necessário para viabilizar a operação da indústria farmacêutica no país, garantindo assim o fornecimento normal de medicamentos para a população”, afirma em nota o sindicato que representa 432 empresas nacionais e internacionais que detêm mais de 95% do mercado de medicamentos brasileiro.

O Sindusfarma argumenta, que, após 14 meses de preços inalterados, a indústria farmacêutica precisa desse reajuste anual para, assim, repor parte dos aumentos de custo acumulados no ano passado e mais recentemente em razão da pandemia de coronavírus, com as expressivas altas do dólar e dos custos de logística, matérias-primas e insumos.

Foto: Shutterstock

Fonte: R7

Não se automedique, consulte um profissional de saúde.

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário