Redes de farmácias obtêm lucro líquido de R$ 1,1 bilhão

O lucro líquido das 25 maiores redes de farmácias ultrapassou o valor de R$ 1 bilhão, em 2018, segundo a Abrafarma

Segundo o novo demonstrativo de resultados da Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma), com dados compilados pela Fundação Instituto de Administração (FIA-USP), as 25 maiores empresas do varejo farmacêutico nacional apresentaram um lucro líquido de R$ 1,1 bilhão em 2018, descontada a provisão do Imposto de Renda (IR).

O valor representou uma margem de 2,34% sobre as vendas brutas, índice inferior aos 2,60% de 2017. Os Lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ficaram em 5,70%, contra 6,73% do ano anterior.

As vendas brutas das redes de farmácias registraram R$ 48,9 bilhões. O custo de mercadoria, que antes correspondia a 66,95% desse valor, aumentou para 67,56% e totalizou R$ 33 bilhões. As despesas operacionais chegaram a R$ 12,9 bilhões e também sofreram elevação. Assim, passando de 26,07% para 26,37%.

“Os indicadores refletem o período desafiador enfrentado pelo segmento no ano passado, resultante da desaceleração nas vendas e do incremento do custo das operações. Essa realidade forçou as empresas a revisar suas margens para manterem a competitividade”, explica o CEO da Abrafarma, Sergio Mena Barreto.

Ainda de acordo com o estudo, os impostos e contribuições diretas atingiram a casa do R$ 1,7 bilhão e o resultado operacional foi de R$ 1,8 bilhão. “Porém, embora convivam com esse cenário e estarem sujeitas a controle de preços pelo governo, as grandes redes vêm conseguindo adequar seus valores e estruturas, sempre em prol do consumidor”, pondera Barreto.

 

Abrafarma Future Trends 2019 reforça metas da entidade para as redes de farmácias

A 6ª edição do Abrafarma Future Trends, no Transamérica Expo Center, em São Paulo (SP), realizada no início de setembro, buscou promover o crescimento e o desenvolvimento do setor farmacêutico. Desse modo, a abertura do evento contou com a presença não apenas do presidente da associação Eugenio De Zagottis, como também do ministro da saúde, Dr. Luiz Henrique Mandetta.

“Acreditamos que o atual cenário político e econômico é promissor para o setor farmacêutico. Assim, alguns dos assuntos em pauta, como a desoneração dos medicamentos é uma missão histórica da Abrafarma. Ficamos muito felizes de poder contar com a presença de autoridades no assunto e do ministro Mandetta”, afirmou De Zagottis.

Foto: Shutterstock
Fonte: Abrafarma

Abrafarma repudia projeto que libera medicamentos fora de farmácias

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário