fbpx

Regeneron publica resultados positivos contra a Covid-19

O Regeneron obteve diferentes contratos, inclusive um de 450 milhões de dólares, para ajudar a fabricar doses em larga escala nos Estados Unidos

A Regeneron, empresa americana de biotecnologia que forneceu os anticorpos elaborados em laboratório para tratar o presidente Donald Trump, infectado com a Covid-19, anunciou no último dia 28, ter obtido mais resultados positivos nos testes clínicos em desenvolvimento.

A empresa informou que os testes feitos com 524 pacientes demostraram que seu coquetel de anticorpos denominados monoclonais, o REGN-COV2, tinha permitido reduzir a carga viral em doentes e a necessidade de atenção médica ou de hospitalização, em comparação com pacientes que tomaram um placebo.

Contudo, os novos resultados, que complementam outros obtidos anteriormente em 275 pacientes, não foram, avaliados ainda de forma independente por uma revista científica.

Elli Lilly também tem o apoio da FDA

No mesmo tópico, o grupo Eli Lilly, que havia publicado anteriormente uma nota de imprensa com dados provisórios, publicou por seu lado os resultados do ensaio de fase 2 de seu próprio tratamento com anticorpos (LY-CoV555, também chamado bamlanivimab) na revista médica New England Journal of Medicine.

Os dados deste ensaio são moderados. Uma única dose (2.800 mg) mostrou eficácia moderada em pacientes não hospitalizados com sintomas leves.

As duas empresas recebem apoio do governo americano.

O Regeneron obteve diferentes contratos, inclusive um de 450 milhões de dólares, para ajudar a fabricar doses em larga escala nos Estados Unidos.

Além disso, o governo anunciou, também,  a compra de 300.000 doses do tratamento da Lilly, mas com outras doses (700 mg), por 375 milhões de dólares, com uma opção de compra adicional de 812,5 milhões de dólares para adquirir 650.000 mais.

As duas companhias tinham pedido autorizações à Agência Americana de Medicamentos (FDA).

Por esta razão, seus tratamentos só estão disponíveis em testes clínicos ou com permissões caso a caso, como a concedida a Donald Trump.

Fonte: IstoÉ Dinheiro

Foto: Shutterstock

Deixe um comentário