Reputação da indústria farmacêutica antes e durante a pandemia

Brasil ganha destaque com os genéricos e a reputação da indústria farmacêutica ganha em Confiança e Admiração com outros segmentos da economia

A Caliber, consultoria internacional com sede na Dinamarca com foco em gestão de reputação corporativa e marca, está lançando o “Global Pharma Study” sobre a reputação indústria farmacêutica.

Um estudo global sobre a Indústria Farmacêutica,  realizado em 17 países, incluindo o Brasil.

Com 13 mil avaliações sobre 67 empresas do setor farmacêutico que atuam em todo o mundo.

Estudo inédito

Focado no mercado de Pharma, o estudo tem duas etapas:

A primeira, no final de 2019 (pré-pandemia) e a segunda em maio deste ano, com o objetivo de avaliar a reputação global do setor farmacêutico.

Além de também verificar como a pandemia da Covid-19 afetou a reputação das organizações.

Esses dois momentos de etapa de campo permitem um claro diagnóstico de como as percepções da sociedade global foram modificadas pelo contexto da pandemia.

O estudo

A Caliber conduziu o estudo com uma metodologia proprietária e utilizando a sua plataforma digital Real-Time Tracker (RTT).

A plataforma faz o monitoramento em tempo real da percepção da sociedade (opinião pública) e analisa exatamente o alinhamento entre o que as marcas falam e como a sociedade as percebem.

Entre as empresas pesquisadas, fazem parte do estudo 14 laboratórios globais com operação no Brasil.

São eles:  AbbVie, AstraZeneca, Bayer, Eli Lilly, GlaxoSmithKline (GSK), J&J (Johnson & Johnson), Merck & Co, Novartis, Novo Nordisk, Pfizer, Roche, Sanofi, Takeda Pharma e Teva.

O Global Pharma Study revela, entretanto, dados que orientam ações, que podem ser utilizados em estratégias de marketing e de negócios nos diferentes mercados.

A Caliber tem muito orgulho de produzir um estudo global do setor que está no centro das atenções mundiais: a indústria farmacêutica, provedora de soluções de saúde em um mundo de tamanha incerteza global. Analisar um conjunto de empresas e de mercados, traz uma visão muito clara do que já foi alcançado e o que ainda precisa ser construído como pilares deste setor”, diz o diretor executivo da Caliber no Brasil, Dario Menezes.

Ainda segundo o diretor, “A Caliber, deseja compartilhar todo esse conhecimento com o mercado de empresas e universidades como forma de disseminar reflexões e propor ações”, explica Menezes, revelando, também que o estudo estará disponível gratuitamente.

Fases do estudo sobre a reputação da indústria farmacêutica

A primeira parte do estudo revela que, apesar de ter uma reputação cada vez mais positiva desde 2018, quando comparada em termos de Confiança e Admiração com outros segmentos da economia global a Indústria Farmacêutica, ocupa a 12ª colocação, com cerca de 70 pontos em uma escala de 0 a 100.

Todavia, seu principal desafio é o de ampliar esse seu indicador de forma consistente dentro de um cenário tão desafiador.

O Brasil é o País em que a sociedade demonstra o maior índice de Confiança e Admiração na indústria farmacêutica liderando o ranking de Reputação com 82,1 pontos, seguido pela China, com 78,7 pontos.

No entanto, essa percepção de Reputação muda para cada mercado estudado, de acordo com o código cultural de cada país uma vez que há impactos, sejam econômicos, sociais ou políticos em cada um dos países avaliados. 

O estudo também analisou expectativas por faixa etária em relação à Indústria Farmacêutica globalmente.

É, então, fácil identificar que quanto mais idade o consumidor adquire ao longo do seu ciclo de vida fica mais desconfiado ele se revela quanto ao setor da saúde.

Configurando, dessa forma, um paradoxo: precisando cada vez mais, porém acreditando cada vez menos.

Enquanto os “Millenials”, com idades entre 25 a 40 anos são os que mais aprovam o setor (70,8 pontos), pois a geração chamada “Baby Boomers”, entre 50 e 64 anos, aparece com 64,1 pontos.

Genéricos ganham destaque no Brasil

Uma grande surpresa da pesquisa no Brasil é a percepção dos genéricos.

O País não faz diferença entre uma empresa global ou local.

A Aché Brasil é a empresa com a melhor reputação baseada em seu mercado alvo com 83 pontos seguida da EMS com 82,1 pontos.

Seguida depois das empresas chinesas Yunnan Bayao Group, China Meheco e Sinopharma Grup. 

E esse dado vai além do Brasil: ambas lideram o ranking mundial em reputação da Indústria Farmacêutica.

Impactos da Covid-19 na indústria farmacêutica

O “Global Pharma Study” revela também o impacto da pandemia mundial na reputação do setor farmacêutico, com análises entre abril e maio de 2020.

A Industria Farmacêutica não se beneficiou da situação.

A reputação das 14 maiores empresas globais do segmento se manteve praticamente no mesmo patamar – 67,5 pontos (pré-Covid) e 67,4 (durante Covid-19)

O que se conclui que entre operações regulares e com alto nível de confiança, a reputação se mantém estável.

Os Estados Unidos lideram o aumento dos indicadores de Reputação no mesmo período.

O que caracteriza, por fim, que não há como relacionar a reputação da Indústria Farmacêutica com a maneira de lidar com a crise e os impactos semelhantes da Covid-19 no Brasil e nos Estados Unidos.

Dentro das 14 empresas globais estudadas no mesmo período 7 empresas tiveram crescimento dos seus indicadores de confiança e admiração, comprovando, então, o já verificado em outros setores: quando a empresa tem uma atuação clara, seus produtos são percebidos de qualidade.

E ela é, então, percebida como uma empresa solidamente gerenciada seja na questão de governança ou de responsabilidade socioambiental mesmo um contexto tão difícil quanto a COVID, sua atuação distintiva pode ser uma fortaleza em momentos de incerteza.

EMPRESA VARIAÇÃO EM PONTOS

ANTES E DURANTE A COVID

Novo Nordisk 2,8
Teva 2,0
Merck 1,7
Sanofi 1,2
AstraZeneca 1,0
Roche 0,7
Pfizer 0,6

 

Foto: Shutterstock

Fonte: Caliber

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário