Governo do RJ confirma transmissão local de variantes brasileira e britânica do coronavírus

Autoridades identificaram que dos 5 contaminados com as novas cepas, 4 não têm registro de viagens. Dois pacientes morreram sendo que um deles veio de Manaus

 O governo do Rio de Janeiro (RJ) confirmou que existe transmissão local das variantes brasileira e do Reino Unido do coronavírus no estado.

A informação foi divulgada em uma nota conjunta das secretarias de Saúde do estado e do município na noite da última quinta-feira (18).

A sanber, ss dois órgãos estavam investigando o histórico dos pacientes, para saber onde eles foram contaminados.

De acordo com as autoridades, 4 pacientes sem registro de viagens foram infectados com as novas cepas — um quinto paciente, também contaminado, veio de Manaus.

Dos quatro casos registrados com a cepa de Manaus, dois são moradores da capital e já estão recuperados; um é um paciente transferido de Manaus, que estava internado no Hospital dos Servidores, e morreu na quinta-feira (18).

E outro é um morador de 55 anos de Belford Roxo, que também faleceu.

Uma mulher foi contaminada com a cepa do Reino Unido.

Ela é moradora da capital e também já está recuperada.

Já que a capital recebe muitas pessoas de outras cidades, principalmente da Região Metropolitana.

Novas variantes do coronavírus

A variante brasileira, descoberta em Manaus (AM), foi chamada de P1. E a linhagem identificada no Reino Unido é a VOC 202012/01.

Quanto mais o vírus circula, maior, então, a probabilidade de surgirem novas variantes dele.

Mas não necessariamente mais fortes ou mais transmissíveis.

De acordo com o Ministério da Saúde (MS), além do RJ, Amazonas, Pará, Roraima, São Paulo, Ceará, Paraíba, Piauí, Espírito Santo e Santa Catarina já mapearam pacientes com a P1.

Infectados com a nova variante

P1, a variante brasileira:

  • Homem de 55 anos, de Belford Roxo — morte.
  • Homem de 46 anos, de Manaus — morte.
  • Homem de 40 anos, do Rio.
  • Homem de 30 anos, do Rio.

 

VOC 202012/01, a variante do Reino Unido:

  • Mulher de 36 anos, do Rio.

 

Transferência de Manaus

Nas últimas semanas, dezenas de pessoas diagnosticadas com Covid-19 em Manaus (AM) foram trazidas, então, para o Rio.

As transferências ocorreram em meio ao colapso do sistema de saúde amazonense.

Após recorde das internações por coronavírus e com uma nova variante do coronavírus circulando no estado.

Assim, um dos pacientes transferido para o Rio é um homem de 46 anos, que estava com a nova variante da doença, faleceu.

Recuo de contaminação em 27 regiões

A maior parte do Rio recuou, assim, para risco moderado para Covid-19.

O sétimo boletim de avaliação por regiões administrativas, divulgado nesta sexta-feira (19) pela prefeitura, mostra que 27 áreas saíram, portanto, do risco alto e desceram um grau na escala.

Quase toda a Zona Sul, porém, ficou , então, pela quinta semana seguida, no risco alto.

Todavia, apesar da melhora dos índices na maioria dos bairros, o prefeito Eduardo Paes decidiu, então, manter as restrições do risco alto para toda a cidade.

Na prática, o Rio inteiro está laranja, segundo a escala.

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário