Sindusfarma e Ipsos lançam pesquisa sobre o desempenho dos laboratórios farmacêuticos no Brasil

A pesquisa do Sindusfarma, em parceria com o Ipsos, avaliou a imagem e o desempenho dos laboratórios farmacêuticos no Brasil, levando em conta as diferentes especialidades médicas

O Brasil e a sociedade estão em constante reformulação. Isso influencia no panorama do mercado farmacêutico e também na percepção dos consumidores. Em meio a todo este cenário, também temos que lidar com as mudanças exigidas pela lei geral da proteção de dados e as atualizações constantes do marketing digital.

“O primeiro semestre do ano foi turbulento para o cenário econômico. Tivemos a 22ªqueda consecutiva na previsão do Produto Interno Bruto (PIB), a alta na taxa de desemprego e diminuição da taxa de juros e da inflação, para citar apenas alguns dos acontecimentos. Tudo isso alinhado com transformações demográficas, como o aumento da expectativa de vida e a taxa de fertilidade. Todos esses fatores mudam a forma de agir e de consumir da população”, afirma o economista e CEO do Ipsos, Marcos Calliari. “Os laboratórios precisam se adequar a todas essas mudanças e conquistar a confiança dessa nova geração. Hoje, não são mais as grandes empresas que ditam as tendências, mas as pessoas e as pequenas companhias”.

Dessa forma, cria-se uma nova forma de agir. Dessa forma, obrigando as empresas a se transformar para proporcionar autenticidade, personalização e individualizar seus produtos para causar impacto.

Lei geral de proteção de dados

A lei geral de proteção de dados completou um ano e entrará em vigor em agosto de 2020. A lei acompanha a tendência mundial e permite a troca de informações entre a Europa e o Brasil. Porém, as mudanças ainda assustam as empresas e devem ser estudadas a fundo para se adequar.

“Devemos enxergar a lei geral de proteção de dados como uma oportunidade. Quem não se adequar será prejudicado. Assim, a melhor forma de encararmos a lei é pensarmos em qualquer inovação já levando em conta a privacidade do cliente”, afirma a advogada e DPO do Ipsos, Carolina Fairbancks. A lei obrigará todas as empresas a terem total proteção da informação, bem como comunicarem o cliente qual a origem e o destino, a finalidade e quaisquer outras informações sobre a utilização dos dados.

“A maior mudança da lei é que não poderemos mais armazenar dados das pessoas sem uma finalidade específica. Devemos apagar os dados dos clientes após o uso ou torná-los anonimizados. Assim, garantindo a fiscalização e a transparência constante da informação”, afirma Carolina. A advogada também sugere que os laboratórios farmacêuticos e as empresas tenham uma pessoa somente para entender onde estão os dados e fazer o mapeamento deles.

Desempenho dos laboratórios farmacêuticos no Brasil

Diante de tantas mudanças, os laboratórios farmacêuticos vêm enfrentando desafios e a necessidade de se adequar a este novo cenário.

Para auxiliar nisso, o Sindusfarma em parceria com a empresa de pesquisa e de inteligência de mercado, Ipsos, lançou a terceira edição da Pesquisa de Imagem de Laboratórios Farmacêuticos, ontem (28/08), em São Paulo (SP).

A pesquisa analisou os laboratórios farmacêuticos pelas 16 principais especialidades clínicas. Assim, foram entrevistados 650 médicos titulares de cada segmento, de diferentes regiões do Brasil. Além disso, a pesquisa analisou a imagem corporativa, levando em conta quesitos como a inovação, ações de marketing, confiança, preferência e admiração; presença no mercado, avaliando a proximidade, as visitas mais frequentes e os melhores representantes; e analisou os produtos distinguindo a qualidade dos genéricos, a qualidade dos produtos no geral e a relação custo benefícios.

A pesquisa sobre a imagem e o desempenho dos laboratórios farmacêuticos no Brasil pode ser solicitada ao Sindusfarma. A pesquisa não visou expor os piores laboratórios. Assim, serão disponibilizados os três primeiros colocados e a posição onde o seu laboratório se encontra.

As especialidades avaliadas foram: cardiologia, clínica geral, dermatologia, endocrinologia, gastrologia, ginecologia, hematologia, neurologia, oncologia, ortopedia, otorrinolaringologia, pediatria, pneumologia, psiquiatria, reumatologia e urologia.

Foto: Sindusfarma
Fonte: Guia da Farmácia

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Sobre o colunista

Jornalista, redatora de textos SEO, especializada no setor farmacêutico.

Deixe um comentário