Suplementação e vitaminas na gravidez: o que é necessário?

As necessidades das gestantes devem ser calculadas de acordo com peso, idade e nível de atividade física

No primeiro trimestre, essa necessidade é igual à de mulheres não grávidas. No segundo trimestre, devem-se acrescentar 340 kcal à dieta e, no terceiro trimestre, mais 452 kcal. Veja dicas sobre o consumo de vitaminas na gravidez.

Em média, a mulher precisará de 36 kcal/kg ao dia. Além disso, vai necessitar de vitamina C, vitamina E, ácido fólico, ferro, zinco, magnésio, cálcio e fósforo a mais que a demanda de uma mulher não grávida. 

No primeiro trimestre, essa necessidade é igual à de mulheres não grávidas. No segundo trimestre, devem-se acrescentar 340 kcal à dieta e, no terceiro trimestre, mais 452 kcal.

Em média, a mulher precisará de 36 kcal/kg ao dia. Além disso, vai necessitar de vitamina C, vitamina E, ácido fólico, ferro, zinco, magnésio, cálcio e fósforo a mais que a demanda de uma mulher não grávida. 

“A ingestão de proteínas deverá ser, em média, de 60 g/dia. A dosagem da vitamina D no sangue da futura mamãe é essencial e deverá ser suplementada sempre que houver níveis abaixo do esperado.”

É a dieta adequada que desempenha papel fundamental para a formação do bebê durante a gravidez. A alimentação deve ser bem equilibrada, contendo os três grandes grupos de alimentos: carboidratos e gorduras, proteínas e vitaminas e sais minerais. 

“Para suprir essas necessidades, a mãe deve consumir cereais, produtos integrais, frutas, legumes, verduras, laticínios e carnes e, de acordo com a recomendação do médico, suplementos que possuem funções específicas e garantem a saúde da mãe e o perfeito desenvolvimento fetal”, completa a dermatologista, Dra. Juliana.

Ácido fólico na gravidez

Uma das vitaminas que certamente a grávida irá consumir, como explica o especialista em medicina preventiva, Dr. Fábio Cardoso, é o ácido fólico, devido à sua importância para a formação neural dos bebês. Há evidências científicas de que essa vitamina precisa ser reposta, mesmo que a mulher se alimente de maneira adequada. Ela deve ser ingerida, preferencialmente, três meses antes de engravidar e até a 13ª semana de gestação.

Vitaminas C e E na gravidez

As vitaminas C e E ajudam na diminuição do risco de anomalias cromossômicas, por isso, são recomendadas. O ácido fólico auxilia na prevenção de malformações congênitas e ele é encontrado em alimentos, como os vegetais de folhas verdes, cereais matinais fortificados, legumes, nozes, feijão, frutas, como laranja, melão e banana, além dos grãos, leite e carne de órgãos, como o fígado, por exemplo, cita a nutricionista do Hospital San Paolo, Flavia Salvitti.

“Normalmente, os médicos prescrevem ácido fólico para tomar três meses antes da concepção”, destaca a Dra. Juliana. Segundo a dermatologista, o ácido fólico evita malformações da medula espinhal. O ferro é fundamental para a formação das células do sangue e a vitamina C ajuda na sua absorção, além de participar do processo da formação de colágeno, vasos sanguíneos, pele, cartilagem e auxiliar no fortalecimento do sistema imunológico. No fim da gestação, o cálcio é de extrema importância para a formação dos ossos do feto.

Veja também:

Qual a melhor vitamina de todas?

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário