Takeda está concluindo venda de ativos e EMS é favorita

A empresa brasileira, EMS é uma forte candidata para levar os ativos, que incluem no Brasil marcas como Neosaldina, Dramin, Eparema e Nebacetin

O grupo farmacêutico japonês Takeda está na fase final do processo de venda de seus ativos latino-americanos, avaliados em cerca de 1 bilhão de dólares, afirmaram fontes próximas ao assunto.

A brasileira EMS é favorita para levar os ativos. Eles incluem no Brasil marcas como Neosaldina, Dramin, Eparema e Nebacetin, disseram as fontes.

A Reckitt Benckiser e a uruguaia Megalabs foram selecionadas, juntamente com a EMS, para apresentarem ofertas vinculantes pelo portfólio, mas são menos propensas a vencer, disseram as fontes.

Além disso, a EMS projeta um volume de negócios de R$ 15 bilhões em 2019, com foco nos genéricos de alta complexidade – que representam 33% da operação. Sustentada especialmente por essa categoria, a farmacêutica tem como meta ampliar em 10% o faturamento e chegar à casa dos R$ 5 bilhões.

Além dos ativos, outra meta da EMS para o ano é o lançamento de 11 medicamentos entre anti-inflamatórios, contraceptivos, anti-hipertensivos, além de três genéricos.

Foto: Shutterstock
Fonte: Exame

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário