fbpx

Telemedicina está cada vez mais próxima no País

Conselho de Medicina lança plataforma on-line para receber propostas para resolução sobre o tema

O Conselho Federal de Medicina (CFM) colocou no ar nesta sexta-feira (8) uma plataforma on-line para colher sugestões para o aperfeiçoamento da Resolução nº 2.227/2018, que disciplina, no Brasil, a telemedicina como forma de prestação de serviços médicos mediados por tecnologias. Poderão participar todos os médicos regularmente inscritos nos Conselhos Regionais de Medicina (CRMs) e entidades de representação da categoria.

Para o médico, o acesso à plataforma on-line desenvolvida pelo CFM está acessível no site Portal Médico (www.portal.cfm.org.br). Ao acessar o ambiente, o profissional informará dados como, número do CRM, estado de sua inscrição e número de CPF.

Veja Mais

Depois desse processo, o interessado será direcionado a uma página de confirmação, onde será exibido um código único que será necessário para preencher o formulário. Com o acesso autorizado, o médico poderá inserir suas observações, após ler cada um dos 23 artigos da Resolução nº 2.227/2018.

No caso das contribuições das entidades médicas, elas deverão ser encaminhadas por meio de ofício para o Conselho Federal de Medicina por meio do endereço cfm@portalmedico.org.br. Todas as contribuições – de médicos e de instituições – podem ser enviadas até o dia 7 de abril de 2019.

Todas as contribuições serão encaminhadas serão analisadas e poderão ser implementadas, após deliberação do Plenário do Conselho Federal de Medicina.

O que a telemedicina deve permitir?

O Conselho Federal de Medicina anunciou, oficialmente, no dia 7 de fevereiro, a Resolução 2.227/2018, que define e disciplina a telemedicina como forma de prestação de serviços médicos mediados por tecnologias. Entre outras novidades, os médicos brasileiros poderão realizar consultas on-line, assim como telecirurgias e telediagnóstico, entre outras formas de assistência à distância. A regulamentação entrará em vigor em três meses.

Especialistas de uma das maiores e mais representativas instituições médicas do Brasil, a Associação Paulista de Medicina (APM), e do Global Summit Telemedicine & Digital Health compreendem que a normativa do CFM traz avanços importantes para o atendimento em saúde, ao legitimar em nosso País soluções tecnológicas já fartamente utilizadas com sucesso na Europa, Estados Unidos e até em nações da África, só para citar exemplos.

Em pesquisa realizada em dezembro de 2018 pela Associação Paulista de Medicina/Global Summit, com retorno espontâneo de 848 entrevistados, 84,67% dos médicos afirmaram usar ferramentas de TI para observação dos pacientes e para otimizar o tempo da consulta. O prontuário eletrônico é a ferramenta mais utilizada, com 76,75% das respostas entre os que já incorporaram a tecnologia na rotina.

Fonte: Guia da Farmácia

Foto: Shutterstock

Cresce a prescrição digital de medicamentos no Brasil

 

Deixe um comentário